21 de janeiro de 2009

Planeje passo a passo e torne-se um empreendedor com chances de sucesso

Entre as muitas determinações de cada um para o começo de ano pode estar a de realizar o sonho de ser o próprio patrão, abrindo uma empresa. A grande maioria dos empreendedores, no entanto, lança o novo negócio sem qualquer preparação inicial, podendo transformar o sonho em um pesadelo real.

Segundo levantamento do Sebrae/SP, 31% dos empresários que abriram empresas no Estado de São Paulo em 2005 se lançaram no mercado sem qualquer informação sobre gestão e sobre o ramo de atuação. Isto teve impacto direto no índice de sobrevivência dos pequenos negócios monitorado pelo estudo Sobrevivência e Mortalidade de Empresas, realizado pelo Observatório das Micro e Pequenas Empresas (MPE), do Sebrae/SP.

“O Plano de Negócios é um documento que pode ser considerado um plano de voo do empreendedor, no qual ele relaciona todas as informações referentes ao novo negócio, tal qual o mapeamento da concorrência, o tamanho do potencial público-alvo, bem como simulações dos cenários nos quais vai atuar”, ensina Ari Antonio Rosolem, consultor administrativo-financeiro do Sebrae/SP.

Empreender não é uma aventura - Para quem pensa em abrir um negócio, a preparação é essencial para evitar ingressar nas estatísticas de mortalidade dos jovens empreendimentos. “Abrir uma empresa não pode ser uma aventura”, diz Rosolem.

Ele aponta ainda três pontos essenciais para os novos empreendedores:

1) Conhecimento: prefira lançar sua empresa numa área sobre a qual já tenha conhecimento. “Não quer dizer que abrir uma empresa em um segmento pouco conhecido, signifique que a empresa vai quebrar, mas levantar todos os dados sobre a área vai exigir muito mais energia do empreendedor, e mais capital também”, diz o consultor.

2) Invista capital próprio: não existe começar uma empresa do zero, sem dinheiro algum. “Recorrer aos bancos é praticamente impossível para o jovem empresário, pois ele não tem garantias para trocar pelo dinheiro”, aponta Rosolem. O conselho é usar capital próprio. “Se tomar dinheiro emprestado da família, combine para começar a pagar só após 12 meses. A essa altura, a empresa já tem mais chances de ser lucrativa”, aconselha.

3) Faça seu Plano de Negócios: quando o empresário coloca tudo no papel, fica mais fácil fazer contas e projeções. Veja os principais itens para fazer o seu Plano.

Por: Luciane Crippa - Agência Sebrae de Notícias
Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 2 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há uma semana
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog