27 de junho de 2009

Lula diz que projeto de Azeredo para internet é censura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou hoje (26) de censura o projeto de lei que endurece as penas para crimes cometidos na internet. Ele visitou o 10º Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre.


O texto prevê que, quem obtiver ou transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado sem autorização do legítimo titular, poderá ser preso. Para professores de comunicação e organizações ligadas à internet, atividades corriqueiras no mundo virtual, como baixar uma música ou um filme, poderão ser interpretadas como crime. lula1

 
“Essa lei que está aí não visa corrigir abuso de internet. Na verdade, quer fazer censura. Precisamos responsabilizar as pessoas que trabalham com internet, mas não proibir ou condenar. É interesse policialesco fazer uma lei que permite que as pessoas adentrem a casa de outras para saber o que estão fazendo, até seqüestrando os computadores. Não é possível”, disse Lula, após ouvir apelos da platéia para vetar a lei. O projeto ainda tramita no Congresso Nacional.


Em ocasiões anteriores, o relator do texto na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado e apoiador do projeto, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), alegou que o objetivo não é controlar o uso da web, mas punir crimes via rede mundial de computadores, como cópia de cartões de crédito e senhas.


O texto obriga os provedores online a guardar, por três anos, os registros de acesso e  encaminhar os dados à Justiça, quando solicitados para investigação. Com essas informações, a ideia é chegar ao endereço de um criminoso.

Fonte: Carolina Pimentel/ Repórter da Agência Brasil

Leia Mais ►

Jogos de Cartas: A Sueca

A Sueca é um jogo bastante popular no Brasil. Embora suas origens não sejam conhecidas, sabe-se que este jogo foi trazido para o Brasil pelos portugueses.

A Sueca é jogada com um baralho de 40 cartas, pois são retirados dos baralho normal todos os 8, 9 e 10. Da Sueca participam obrigatoriamente quatro jogadores, divididos em duas duplas, devendo os jogadores de cada dupla sentar-se alternadamente. O carteador distribui 10 cartas aos jogadores, uma de cada vez, começado pelo primeiro jogador à sua esquerda. cartbar140

A Sueca é um jogo de trunfos, isto é, em cada rodada escolhe-se um naipe, cujas cartas valerão mais do que as cartas dos outros naipes. A escolha do trunfo costuma ser feita pelo carteador, que geralmente escolhe o naipe do qual tiver a carta mais alta ou em maior quantidade, e comunica aos demais jogadores. O trunfo será o mesmo durante as 10 vazas que constituem cada uma das mãos.

Depois de escolhido o trunfo, também é o carteador que inicia o jogo, descartando uma carta qualquer aberta. Em seguida o jogador a sua esquerda deverá descartar uma carta do mesmo naipe, o mesmo acontecendo com os demais jogadores. Se algum jogador não tiver nenhuma carta do mesmo naipe, pode descartar um trunfo ou uma carta de qualquer naipe, contudo, se tiver carta do naipe em jogo, é obrigado a descartá-lá. Quando o jogador descarta um trunfo isso é chamado de cortar com trunfo e também e costuma-se dizer que o jogador está baldado quando não tem cartas do naipe em jogo.

As quatro cartas descartadas formam uma vaza, que será ganha pelo jogador que jogou a carta mais alta. Para isso, é obedecida a seguinte ordem decrescente:

Ás = 11 pontos

Sete ou Manilha = 10 pontos

Rei = 4 pontos

Valete = 3 pontos

Dama = 2 pontos

As demais cartas são de valor inferior e não valem pontos, mas têm entre si uma ordem decrescente de valor de acordo com sua numeração – 6, 5, 4, 3 e 2. O jogador que ganhar a vaza recolhe as cartas dessa vaza, sem misturá-las com as cartas que tem na mão, e inicia a vaza seguinte.

Cada mão de Sueca é constituída por dez vazas. A contagem de pontos para decidir quem venceu a mão é feita a partir das cartas ganhas em cada vaza, assim uma dupla pode ganhar mais vazas, mas fazer menos pontos do que a dupla adversária.

Para a contagem de pontos, as partidas de Sueca são compostas de quatro pontos ou galhos e são vencidas pela dupla que primeiro vencer quatro mãos, marcando um ponto ou galho  para cada uma das mãos vencidas. A soma dos pontos das cartas dá um máximo de 120 pontos em cada galho, assim, se uma das duplas fizer 61 pontos, ganha o galho marcando um ponto. Vale lembrar que os pontos das cartas de um galho não são somados com os pontos das cartas do galho  seguinte.

Quando as duplas fazem 60 pontos cada uma, empatando o  galho, marca-se um ponto para cada uma. Se uma dupla conseguir 90 pontos em uma rodada, ela marca dois galhos e no caso de uma dupla conseguir fazer os 120 pontos em um galho ela será considerada vencedora pois esse feito equivalem a quatro galhos e é chamado de bandeira.

Leia também:

Jogos de Cartas: Conheça o Whist

Jogos de Cartas: Cálculo - Conheça as regras da mais difícil das paciências

Jogos de Cartas: Conheça o Tute

Jogos de Cartas: O baralho espanhol

Jogos de Cartas: Saiba como nasceu a paciência

Fonte de pesquisa: Todos os Jogos, Editora Abril, 1978.

Leia Mais ►

Além do aroma agradável o café tem mais benefícios

Hum, que cheirinho bom! Geralmente é isso que pensamos ao sentirmos o cheiro do café enquanto ele está sendo passado no coador, não é mesmo?

Mas o café não representa apenas esse aroma agradável. Ele também pode fazer muito bem à nossa saúde. Cientistas de vários países do mundo têm descoberto, a cada dia, mais benefícios que o café pode trazer quando é consumido moderadamente pelo homem. E os resultados dessas pesquisas estarão sendo divulgados aos visitantes do estande da Embrapa Café no Shopping Boulevard desde a última quinta-feira ( 25) e vai até o dia 5 de julho .café


Estudos relativos às influências do café no organismo humano estão sendo realizados por profissionais da área de saúde. Esses estudos comprovaram, por exemplo, que o café pode fazer bem ao coração, evita a depressão, estimula o aprendizado, ajuda a controlar crianças hiperativas e até pode ajudar em dietas para emagrecimento. O café contém apenas 1 a 2,5% de cafeína, substância mais conhecida presente no grão. É a cafeína que produz esse efeito estimulante ao consumir o café. Mas o café possui ainda, e em maior quantidade, diversas outras substâncias importantes para o organismo humano, tais como: minerais, aminoácidos, lipídios, açúcares, vitamina do complexo B, além dos ácidos clorogênicos, que ajudam na remoção dos radicais livres, reduzindo o envelhecimento precoce dos tecidos.


Os estudos sobre o Café e Saúde fazem parte da programação de pesquisa do Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café, instituição que reúne a totalidade das instituições brasileiras de ensino, pesquisa e extensão rural que trabalham com o café. É o Consórcio que realiza as pesquisas em prol do desenvolvimento do agronegócio café brasileiro.


Produtos de café


Para mostrar que vários alimentos podem ser elaborados com o sabor do café, a Embrapa Café vai levar ao Boulevard Shopping, para degustação, biscoitos, amanteigados, cookies, sorvetes e brigadeiros preparados com café. Os visitantes poderão degustar também uma novidade, o iogurte sabor café.

Fonte: Jurema Iara Campos/Embrapa

Leia Mais ►

26 de junho de 2009

Leilão de jóias em Curitiba

Banco oferta mais de 6 mil lotes com peças em ouro, brilhantes e pedras preciosas na próxima semana

A Caixa Econômica Federal realiza leilão de jóias de contratos de penhor nesta segunda-feira (29), em Curitiba (PR). No total, foram relacionados 6.133 lotes relativos a contratos que venceram há mais de 30 dias e emitidos pelas agências Cascavel, Apucarana, Campo Mourão, Cornélio Procópio, Guarapuava, Londrina, Maringá, Paranavaí, Cianorte, Umuarama, Foz Iguaçu, Pato Branco, Telêmaco Borba, Toledo, Ouro Verde, Cidade Canção, Av. Center e Águas de Sarandi.

Os lotes serão vendidos pelo maior lance. O menor valor é de um lote que contém um anel de ouro, com lance mínimo de R$ 63,00. Já o maior lote possui um anel de platina com um diamante de aproximadamente 3,9 quilates e está estimado em R$ 20.920,00.

Os clientes titulares dos contratos incluídos poderão regularizá-los em qualquer agência da CAIXA, por meio de equipamentos disponíveis nas salas de autoatendimento, até o dia 29/06/2009, durante o horário bancário.

Cronograma do leilão – As jóias ficarão expostas no dia 29 de junho, das 12h às 17h, na Rua Marechal Deodoro, 450. Os lances poderão ser feitos em qualquer agência da CAIXA, nos terminais de autoatendimento, no horário de funcionamento desses locais. O resultado será divulgado na terça-feira (30), a partir das 10h no local do leilão ou pela internet no site da CAIXA (www.caixa.gov.br).

O pagamento (sinal ou integral) deverá ser efetuado, impreterivelmente, na terça-feira (30/06), também na Rua Marechal Deodoro, 450, a partir da divulgação do resultado. As joias somente poderão ser retiradas com o pagamento integral, conforme disposto no edital.

Como participar - Para participar do leilão, bastam a identificação e o cadastramento em agência da CAIXA que trabalhe com penhor de joias mediante a apresentação de original e cópia de documento de identidade, CPF regular perante a Receita Federal e comprovante de endereço. Os lances poderão ser efetuados nos equipamentos disponíveis nas salas de autoatendimento de todas as agências da CAIXA, no dia 29/06/2009, com o uso da senha fornecida durante o cadastramento.

Os interessados encontrarão no site da CAIXA (www.caixa.gov.br), na opção download - venda de joias, o edital e também o catálogo com os contratos relacionados.

Serviço

Leilão de Joias da CAIXA em Curitiba

Data de exposição: 29/06/2009

Horário da exposição: das 12h às 17h

Data do resultado, pagamento do sinal ou pagamento total: 30/06/2009

Local: Rua Marechal Deodoro, 450, Centro – Curitiba (PR)

Fonte: Assessoria de Imprensa da CAIXA – Regional Curitiba

Leia Mais ►

Programa de prevenção a drogas forma 1.800 alunos

Mil e oitocentos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental dos estabelecimentos de ensino de São José participaram da solenidade de formatura do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) na noite desta quinta-feira (25).

Coordenado e executado pela Polícia Militar, em parceria com a Prefeitura, o programa é considerado referência nacional, sendo um dos poucos centros de formação de instrutores existentes no País.


Durante dois meses e meio, as crianças aprenderam os males e conseqüências decorrenproerd1tes do uso de drogas e também receberam orientações sobre a importância da tomada de decisões corretas. Neste primeiro semestre, o Proerd atendeu metade dos alunos matriculados no 5º ano do Ensino Fundamental. Em setembro, iniciará uma nova etapa do programa para completar o atendimento aos estudantes dessa série escolar. 


O Proerd derivou do Drug Abuse Resistance Education (Dare), criado pelo Departamento de Polícia de Los Angeles, em 1983, em conjunto com um grupo de educadores locais, com a finalidade de prevenir o uso de drogas junto a crianças em idade escolar. Nos EUA, expandiu-se, rapidamente, alcançando mais de 80% dos distritos escolares, abrangendo desde crianças da educação infantil e jovens no ensino fundamental e médio até os próprios pais.


Em Santa Catarina, o Proerd foi aplicado pela primeira vez em Lages (1998). Depois da implantação do programa seguiu-se um rápido processo de expansão. Dez anos mais tarde, mais de 800 mil crianças, adolescentes e pais já participaram do programa.

Fonte: Secretaria de Estado de Comunicação

Foto: Neiva Daltrozo / SECOM

Leia Mais ►

Sócrates e a administração

A história de Sócrates é o princípio de toda sabedoria, já que não podemos conhecer verdadeiramente nada fora de nós, restando nós mesmos.

Antes de falarmos dos outros, ou julgar pelas atitudes devemos nos conhecer melhor para que saibamos que cometemos os mesmos erros ou até piores, devemos buscar conhecer nossos defeitos e qualidasocrades.

       Uma das maiores virtudes do homem é conhecer a si mesmo e saber como ser humano é provido de falhas, então o julgamento nem sempre cabe a nós. Creio que a reflexão nos leva ao ensinamento, mesmo que não cheguemos à conclusão alguma, pois só o fato de explorarmos nossa mente em busca de nossa verdadeira identidade já nos acrescenta alguma coisa.

       Uma contribuição importante de Sócrates para o ambiente empresarial é o método socrático. Fazer uma série de perguntas para se chegar às respostas definitivas, pois não existe fórmula mágica, que venha de fora da empresa. Se a organização estiver lutando com uma questão importante, talvez precise de uma mãozinha filosófica para trabalhar com o despertar de “vossa própria sabedoria”.

       Todos nós já temos o conhecimento e a solução que procuramos sempre, está dentro da própria empresa, mas que podemos precisar de ajuda para trazê-la à tona.  Somente a verdade nos propicia o real conhecimento de nós mesmos, ponto de partida da ética empresarial, e somente na medida em que a aceitamos estamos em condições de chegar a ser aquilo que ainda não somos.

Por: ADAIANE MARTA CHAGAS/Estudante do curso de ADM da Unoesc Chapecó

Fonte: Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Leia Mais ►

25 de junho de 2009

El titiritero de Banfield

Conhecido como “El titiritero de Banfield”, o argentino Sergio Mercurio exibe também em Brasília premiado documentário sobre artista de rua de Curitiba

A CAIXA Cultural Brasília recebe uma atração internacional no primeiro final de semana de julho. Nos dias 03, 04 e 05, o argentino Sergio Mercurio desembarca no Teatro da CAIXA com o espetáculo de bonecos “Velhos”, voltado para jovens e adultos. Sexta e sábado, às 20h, e domingo, às 19h, com ingressos a R$ 10,00 a inteira e R$ 5,00 a meia-entrada. Para esquentar a noite, Mercurio exibe antes dos espetáculos, premiado documentário que dirigiu sobre uma artista de rua de Curitiba. “O Filme da Rainha” terá sessões gratuitas na sexta e no sábado, às 17h e no domingo, às 16h.

Falado inteiramente em português, “Velhos” é a primeira parte de uma trilogia de Sergio Mercurio sobre a velhice. O espetáculo de bonecos (ou títeres) apresenta oito personagens idosos manipulados de sete formas diferentes, que vão desde o pé (que vira uma cabeça) a bonecos gigantes. O habilidoso “El titiritero de Banfield”, como é mais conhecido, transforma bonecos de espuma em personagens com vida própria e expressões bem particulares. Ternos, irônicos, críticos, poéticos e cheios de humor, os velhos de Mercurio possuem passados diferentes e aparecem tal como são, ou seja, envelhecidos, sem reparos.

“Velhos” começa com Tronco, um velho raivoso e carrancudo que, sentado diante do infinito, critica e resiste à morte. Em seguida, o hilário casal Rosa e Arturo, acamados no hospital após serem atropelados, divertem a platéia com uma discussão acalorada. Manipulado juntamente com Rosamari Jacomeli, surge a simpática e gigante boneca Eduviges, que encanta o público ao lado de sua borboletinha. O boneco de mesa Navaho é um idoso indígena que vive numa solidão incompreensível. Na graciosa cena “Avô e neto”, são os pés dos manipuladores que dão vida à história, sem necessidade alguma de fala. A boneca Simona também só precisa dos gestos para se fazer entender pela platéia. E para encerrar, surge o apaixonado pelo tango, Professor, velho colocado num asilo enquanto seu filho viaja à Espanha a trabalho.

O trabalho do “El titiritero de Banfield” não se resume a uma técnica apurada. Seus textos trazem poesia e belas referências sem precisar, para isso, serem rebuscados ou complicados. São diálogos do cotidiano que, ao mesmo em que divertem, levam o público a uma profunda reflexão.

“Velhos”, que já foi apresentado na CAIXA Cultural de Curitiba, tem patrocínio da CAIXA.

O Filme da Rainha

Produzido entre 2005 e 2007, e dirigido por Sergio Mercurio, o documentário longa-metragem “O Filme da Rainha” transporta para o cinema a vida de Efigênia Ramos Rolim, conhecida nas ruas de Curitiba como “A Rainha do Papel de Bala”. Em 2007, o filme foi eleito pelo público da 31ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo como Melhor Documentário Estrangeiro. Além disso, o longa venceu o Prêmio Internacional Mulher e Trabalho e recebeu no México, em 2008, menção honrosa na categoria Mulheres, do V Encuentro Hispanoamericano de Cine y Video Documental Independiente Contra el Silencio Todas las Voces.

Nascida em um povoado de Minas Gerais, Efigênia se mudou há 15 anos, juntamente com seus nove filhos e um marido enfermo, para a capital paranaense. Em Curitiba, aos 60 anos e depois de já ter enviuvado e criado seus filhos, Efigênia transformou-se numa artista popular. Segundo consta, sua mudança pessoal aconteceu num momento de desassossego, quando viu um objeto brilhante jogado na rua que confundiu com uma jóia. Pegou-o do chão e descobriu tratar-se de um papel de bala. Efigênia viu-se refletida nesse papel e a partir daí encontrou uma missão em sua vida. Decidiu vestir-se com os restos do que as pessoas jogam na rua e assim se transformou numa rainha, “A Rainha do Papel de Bala”.

O filme será exibido no Teatro da CAIXA em sessões gratuitas às 17h na sexta e no sábado, e às 16h no domingo.

Sergio Mercurio

Sergio Mercurio, o "El titiritero de Banfield", realiza espetáculos de bonecos só para jovens e adultos. Com o sonho de percorrer o continente com seu trabalho, viajou de 1992 a 2004, por países como Argentina, Bolívia, Chile, Uruguai, Peru, Brasil, Equador, Colômbia, Venezuela, Costa Rica, El Salvador, Honduras, Guatemala e

México, realizando mais de 1000 apresentações de seu trabalho. O périplo pelas Américas rendeu o livro “De Banflield ao México”, já na segunda edição.

Antes de “Velhos”, Mercurio já havia escrito outra trilogia: "El titiritero de Banfield", estreado na Bolívia em1995; "En Camino", de 1997; e, "De Banfield a México", seu terceiro espetáculo estreado no Uruguai. Além disso, o titiritero editou, em 2000, o CD "Contos de um Banfileño".

"Velhos" estreou em 23 de fevereiro de 2007, no teatro Nacional Sucre, em Quito, Equador.

Serviço

Espetáculo de bonecos “Velhos”

Data: 03, 04 e 05 de julho de 2009

Horário: sexta e sábado, às 20h e domingo, às 19h

Local: Teatro da CAIXA - SBS Qd 4 lote 3/4, anexo do edifício Matriz da CAIXA

Recepção: 3206-9448 - Administração: 3206-9450

Bilheteria: 3206-6456 (aberta de terça-feira a domingo, das 12h às 21h)

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada para estudantes, pessoas com 60 anos ou mais, professores e empregados da CAIXA)

Classificação Etária: Não recomendado para menores de 10 anos

Duração: 70 minutos

Exibição do documentário longa-metragem “O Filme da Rainha”

Data: 03, 04 e 05 de julho de 2009

Horário: sexta e sábado, às 17h e domingo, às 16h

Local: Teatro da CAIXA - SBS Qd 4 lote 3/4, anexo do edifício Matriz da CAIXA

Recepção: 3206-9448 - Administração: 3206-9450

Classificação Etária: Não recomendado para menores de 10 anos

Duração: 67 minutos

Entrada franca

Fonte: Assessoria de Imprensa da Caixa Econômica Federal

Leia Mais ►

Atitude é tudo!

Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia , olhou no espelho e  percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.


- Bom (ela disse), acho que vou trançar meus cabelos hoje.  
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.  
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.
- Hummm (ela disse), acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje.  
Assim ela fez e teve um dia magnífico.  
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
- Bem (ela disse), hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.  
Assim ela fez e teve um dia divertido.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.  
- Yeeesss... (ela exclamou), hoje não tenho que pentear meu cabelo. 

ATITUDE É TUDO!


Seja mais humano e agradável com as pessoas.  
Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha. 
Viva com simplicidade. 
Ame generosamente. 
Cuide-se intensamente.  
Fale com gentileza.  
E, principalmente, não reclame. 
Se preocupe em agradecer pelo que você é, e por tudo o que tem! 

E deixe o restante com Deus.

Recebido por email

Leia Mais ►

Inscrições para o 8o Prêmio de Jornalismo Unimed encerram no dia 1o de julho

Organizado pela Federação das Unimeds em parceria com as 23 cooperativas distribuídas pelo Estado, da qual a Unimed Chapecó faz parte, o Prêmio de Jornalismo Unimed SC chega a 2009 em sintonia ainda maior com o público.

Mantém premiações para as categorias Profissionais e para a categoria Destaque Acadêmico, que é dividida em três subcategorias: TV, Rádio e Jornal/ Revista. A abertura das subcategorias em 2008 para a Destaque Acadêmico trouxe uma mobilização maior entre os estudantes de jornalismo. Reconhecido por estimular a produção jornalística sobre o tema Saúde e Qualidade de vida, o concurso está com as inscrições abertas até o dia 1o de julho.

A inscrição deve ser feita (em três etapas) através do site http://www.unimed.com.br/premiodejornalismo: 1ª Pré-cadastro: onde o candidato preenche um formulário com seus dados e aguarda um contato da organização com a senha que libera o acesso ao campo restrito da inscrição; 2ª Postagem do material via ferramenta: o concorrente preenche a sua ficha de inscrição e posta o material conforme orientações do site; 3ª Envio dos documentos e do material completo pelos correios, entrega em mãos em uma das 23 Unimeds ou na sede da organizadora do prêmio. Os originais - impressos ou em mídia eletrônica - servem para garantir a autenticidade da produção.

Além de valorizar e dar visibilidade ao trabalho dos jornalistas e estudantes de comunicação em Santa Catarina, o Prêmio de Jornalismo Unimed distribui prêmios em dinheiro. Os primeiros colocados da categoria Profissional (Jornal/Revista, Rádio e TV) serão contemplados com R$ 4 mil. Também serão distribuídas estadias em hotéis de lazer para os demais finalistas desta categoria.

Os vencedores das subcategorias da Destaque Acadêmico (Jornal/Revista, Rádio e TV) recebem R$ 1 mil. Em sete edições, o prêmio contou com 839 reportagens inscritas e analisadas por um corpo de jurados formado por profissionais de comunicação que atuam em outros estados e por profissionais da saúde que integram a Unimed SC.

Na área de abrangência da Unimed Chapecó, oeste catarinense, informações podem ser obtidas na assessoria de imprensa da cooperativa médica, através do telefone (49) 3323 4244, e-mailmb@mbcomunicacao.com.br ou através do site http://www.unimed.com.br/premiodejornalismo .

Fonte: Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Leia Mais ►

24 de junho de 2009

Plantar água é a saída

Observar as plantas e copiar a natureza.

Esta foi a saída que o agricultor Jurandi Anunciação de Oliveira buscou no conhecimento tradicional para matar a charada proposta por um técnico  que lhe recomendou “plantar água” para conviver com a escassez de água no semiárido nordestino de Cafarnaum, cidade baiana onde mora.


A saída também servirá para amenizar o aquecimento global, segundo entende o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Antônio Donato Nobre. Ambos estiveram juntos em conferência sobre sistemas agroflorestais e mudanças climáticas realizada nesta quarta-feira (24) em Luziânia (GO).


“Eu planto mil folhas de palma, colho 4.750 litros de água e posso cultivar manga em agosto sem depender de água de barragem ou de chuva”, contou o agricultor durante o seminário que compôs a programação do VII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais (VII CBSAF), organizado pela Embrapa e parceiros, e que tem objetivo de proporcionar o compartilhamento de experiências.


Oliveira conseguiu driblar os efeitos da seca em sua propriedade compactando folhas de palma sob o solo em que plantaria fruteiras. Mas como essa lógica tem indicado caminhos para salvar a Terra dos efeitos danosos das mudanças climáticas - que são dez vezes mais graves do que dizia o último Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), conforme anunciou Nobre.

A descoberta de que a “floresta amazônica é o regador do Éden” ou que as árvores transpiram por unidade de área mais do que o oceano ocorreu fora dos modelos matemáticos dos meteorologistas, destacou o agrônomo. Pela física, os cientistas russos captaram os princípios da natureza que os agricultores já haviam captado pela intuição: as florestas funcionam como uma bomba de água, sendo, portanto essenciais no resfriamento da Terra, disse Nobre.


Segundo ele, cada árvore grande na Amazônia chega a evaporar 300 litros de água por dia. Conseqüências do aquecimento global que estavam sendo esperadas para 2050 teriam começado a ser registradas já em 2007, destaca o pesquisador. “O gelo do Ártico derreteu tão rápido que desestimulou os investimentos para a ampliação do canal do Panamá”, aponta Nobre como um dos eventos que estão sendo antecipados, pegando meteorologistas de surpresa.

O alerta foi feito pelo agricultor familiar Oliveira para o contexto da região semiárida onde vive, mas tem a concordância do pesquisador do Inpe, cujo foco é a situação do Planeta: “a mordida virá, inesperada e brutal”, sentencia, tendo por base dados históricos e não futorológicos conforme frisa. A saída, segundo entende não estará numa tecnologia que, sozinha, nos salve dos desastres climáticos, mas de uma agenda de colaboração e na disseminação do conhecimento. O agrônomo desenvolve projeto denominado Fênix amazônica, uma proposta que, a partir da síntese do conhecimento acumulado em vários setores, possa ser acessível e viabilizar saídas  colaborativas para questões específicas como a fundiária, dos poluentes e da sustentabilidade.


Embora aponte a necessidade de correção de rotas em diversas áreas, Nobre avalia que “não haverá solução sem a Embrapa, sem a ciência e sem o conhecimento intuitivo do produtor”. Para acompanhar a programação completa e as notícias sobre o VII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais que segue até sexta feira, 26, basta acessar  www.embrapa.br/viicbsaf.


O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Sistemas Agroflorestais e realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater/DF) e a organização não-governamental Mutirão Agroflorestal. A organização do VII CBSAF é da Embrapa Transferência de Tecnologia (Brasília/DF) e o evento conta com apoio da Embrapa Cerrados (Planaltina –DF), Embrapa Floresta (Colombo/PR) e da Embrapa Informação Tecnológica  (Brasília/DF).


Fonte: Valéria Costa/Embrapa Transferência de Tecnologia



Leia Mais ►

Site em homenagem a Dom Helder Câmara

Está no ar desde o dia 19 de junho, um site em homenagem ao fundador da CNBB, dom Helder Câmara.

O site é uma das realizações da Comissão do ano de dom Helder Câmara na PUC/Rio, que tem como coordenador o professor Paulo Fernando Carneiro de Andrade, com a participação de colaboradores e professores de diversos cursos e de diversas áreas de estudos.sitedomhelder

Padre Jesus Hortal falou sobre o lançamento do site e relatou a importância de dom Helder na sociedade atual: “ele iniciou e lutou pelo que hoje nós chamamos de inclusão social. Por isso, ele nos é fruto de inspiração. Devemos muito a dom Helder”.

O arcebispo de Rio de Janeiro também falou sobre a homenagem a dom Helder. “O que marcou a vida de dom Hélder foi o seu entusiasmo em ser cristão. Alguém que teve a experiência de viver a vida cristã na própria vida. Seja na santidade, seja pelas ideias. Que esse site possa ajudar as pessoas a verem a consequência de ser cristão”, afirmou.

O site faz parte do acervo de memórias da universidade e pode ser acessado no endereço http://www.ccpg.puc-rio.br/memoriapos/dhc/.

Fonte: CNBB

Leia Mais ►

Intestino preso: Osteopatia pode ser eficaz no tratamento

Só quem já passou pela situação incômoda de ter o intestino preso, sabe quanto ela é desagradável e angustiante.

De acordo com pesquisas cerca de 90% das mulheres são acometidas desse mal. O fisioterapeuta da Clínica Reichmann, Edson Bramatti, explica que o fato do intestino não funcionar direito pode desencadear outros problemas na pessoa.

“Se o intestino não funciona direito podem ocorrer distensões na região abdominal”. Bramatti também alerta para o uso contínuo de laxantes, e diz que eles podem ser utilizados moderadamente. “Normalmente, quando a pessoa está com o intestino preso acaba tomando laxantes continuamente, de forma viciada, e isso também não faz bem à saúde”, explica.

O fisioterapeuta destaca que o mais importante é normalizar a função intestinal, se possível sem medicamentos sendo a osteopatia uma ótima alternativa para o tratamento de intestino preso. “Além da eficácia no tratamento de distúrbios músculo-esqueléticos, a osteopatia também trata dos órgãos internos (vísceras), principalmente o intestino”.

Existem também as chamadas alterações viscerais, como as aderências, resultado da conseqüência direta ou indireta de cicatrizes de cirurgias; as ptose, que se refere a lassidão ligamentar; relacionadas ao biótipo da pessoa, depressão nervosa, idade avançada, traumas, espasmos ou visceroespasmos.

Bramatti diz que as manipulações da osteopatia no abdômen regularizam o intestino e o hábito intestinal e que a mobilidade dos órgãos internos correta é indispensável para o seu bom funcionamento. “A osteopatia visceral com mobilização manual normaliza a função, aumentando a vascularização dos tecidos e estimulando os nervos que fazem funcionar o intestino ou outras vísceras que apresentam distúrbios”, enfatiza.

A osteopatia também é indicada em casos de gastrite, hepatite viral ou alcoólica, colites, hérnias de hiato e após cirurgias abdominais (cicatrizes).

Fonte: Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Leia Mais ►

23 de junho de 2009

Faltam 30 dias para a 27ª Festa Nacional do Colono

O resgate às origens é a grande meta da comissão organizadora da 27ª Festa Nacional do Colono. Com um trabalho conjunto e integrado às demais unidades da Administração Municipal, a Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural espera que o evento deste ano possa trazer de volta aos agricultores itajaienses o orgulho por sua valorosa função e seu decisivo papel dentro da sociedade em que vive.


Para tanto, a programação da 27ª Festa Nacional do Colono traz atividades para o público de todas as idades, como: 9ª Feira Industrial, 10ª Mostra de Ovinos, 16ª Mostra de Gado Geral, 13ª Exposição Tecnológica, 14º Torneio de Gado Leiteiro, 13ª Expo-feira Agro-Industrial, 16ª Expo-feira de Gado Leiteiro, 13º Festival de Duplas Sertanejas, 11ª Feira e Mostra de Animais Pequenos e Exóticos, 9ª Expo-feira Oficial das Raças Simental e Simbrasil, Feira de Artesanato, Exposição da Cultura Colonial, Parque de diversões e Vôo Panorâmico.


E para quem pensa que acabou, a 27ª Festa Nacional do Colono tem ainda muito mais: 11º Encontro da Família Agricultora, 16º Concurso de Pratos Típicos, Tarde Dançante da Terceira Idade, Café Colonial; isso sem falar nas dezenas de apresentações artísticas e culturais, competições esportivas entre as comunidades rurais e os bailes e shows que sempre atraem um expressivo número de participantes. Confira a programação completa do evento no site: http://www.festadocolono.com.br


Atrativos não vão faltar nesta que é considerada a maior festa em homenagem ao homem do campo de Santa Catarina. Portanto, programe-se para curtir, de 23 a 26 de Julho, no Parque do Agricultor Gilmar Graf, na comunidade da Baía, a 27ª Festa Nacional do Colono, uma nova safra de atrações que espera por você, sua família e seus amigos.

Fonte: Prefeitura Municipal de Itajaí

Leia Mais ►

Tangos, el exílio de Gardel

O próximo filme do Ciclo de Cinema Argentino – entre gaúchos e compadritos será exibido nesta quarta-feira, 24/6, às 16h, no Auditório Henrique Fontes, do Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina.

Carlos Gardel. Foto divulgação

Tangos, o exílio de Gardel, do diretor Fernando Solanas foi estreado em 1985, com a Argentina saindo de uma terrível ditadura imposta pelos militares. O diretor é Solanas, que já era um cineasta dos mais conceituados no país vizinho, e lidera um grupo de artistas que pioneiramente começam a fazer um balanço daqueles “anos de chumbo”, mal haviam eles acabado.


Ao contrário do que costumam argumentar certas figuras tupiniquins, sempre buscando justificar o injustificável, trata-se de um filme criado no calor da hora, quase sem nenhuma perspectiva histórica dos acontecimentos que inundaram de sangue a Argentina. E o que é mais significativo, feito sem nenhuma gota de rancor, muito pelo contrário.


Percebe-se no filme um profundo e cálido sentimento de solidariedade para com um país que se encontrava em frangalhos do ponto de vista afetivo e emocional. Contagia, também, por ser uma criação estética que, apesar da dureza e mesmo da tragédia dos temas que trata, não perde nunca o sentido do humor diante dos acontecimentos, por pior que eles sejam. O que não deixa de ser um avanço admirável em termos do comportamento argentino em geral, tão propício a altas temperaturas, difíceis de serem mantidas e suportadas nestes tempos gelados da pós-modernidade.


O filme de Solanas, composto por uma equipe afinadíssima de artistas, incluindo figuras geniais como Piazzolla e um dos maiores cantores de tango jamais vistos, Roberto Goyeneche, consegue atingir um equilíbrio surpreendente entre a indignação típica daquele gaucho argentino, que teve no Martin Fierro sua mais perfeita representação, e a picardia portenha tão pouco conhecida fora da Argentina. É bom lembrar que o habitante de Buenos Aires, muitas vezes, é compreendido de forma algo redutora, quando visto apenas pelo viés melodramático tão difundido pelo tango. Melhor
dizendo, por um determinado tipo de tango.


Quanto aos acontecimentos dramáticos, são difíceis de resumir, ao mesmo tempo em que o enredo básico é muito simples, já que corresponde a um grupo de artistas argentinos que se refugiam em Paris, em torno de 1980, como forma de fazer frente aos duros tempos da ditadura. E lá enfrentam todas as dificuldades típicas que assolam os latino-americanos para se estabelecerem nos chamados países do primeiro mundo. No caso, tentam encenar em Paris o que chamam de uma tanguedia, intitulada justamente El exílio de Gardel, o mesmo título do filme que estamos vendo, o que sugere, ou melhor, explicita mesmo a estrutura em espelho do filme. Há outros espelhamentos interessantes que poderão ser conferidos.


O título em si já se constituía em uma afronta à ditadura do general Videla, já que, como se sabe, Gardel, o símbolo maior da Argentina, nunca esteve exilado. O fato gera um dos momentos mais dramáticos do filme, quando algumas cenas da tanguedia são vistas por personalidades argentinas de passagem por Paris. Personalidades, claro, vinculadas ao regime militar do momento, e que se retiram no meio do ensaio aberto, indignadas com a “mentira histórica”. Claro, a mensagem da tanguedia e, por espelhamento, do próprio filme que assistimos, é explícita: se o maior ídolo do país encontra-se exilado, todo o país está no exílio. Não importa se o fato ocorreu ou não, se Gardel esteve alguma vez exilado ou não. Trata-se de uma metáfora evidente, mas sabemos todos os simpatizantes desse tipo de governo não costumam primar pela inteligência.


Enfim, o que realmente importa é que “os filhos de Gardel”, naquele momento – 1980 – estavam, ou se sentiam, exilados, mesmo que estivessem em Buenos Aires ou qualquer outro lugar do país. Por isso, aliás, que a tanguedia é composta a quatro mãos por Juan Uno e Juan Dos, que se comunicam por telefone e tentam levar adiante, e concluir, uma confusa peça musical “que não encontra o seu final”, numa clara alusão ao pesadelo que estavam vivendo não poucos argentinos.
Para concluir: de certa forma, e pelos motivos expostos no início, pode ser mais importante para nós, brasileiros, assistir a esse filme hoje do que para os argentinos. Pelo menos no que se refere ao que um narrador machadiano chamaria sutilmente de “capítulo dos tapetes”. Ou, mais grosseiramente, como talvez deva ser o caso, do “capítulo revisão histórica decente.”


O Ciclo de Cinema Argentino – entre gaúchos e compadritos é organizado pelo Núcleo Juan Carlos Onetti de Estudos Literários Latino-Americanos . Tem apoio do Instituto Cervantes, Programa de Pós-Graduação em Literatura e Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (DLLE).

Fonte: Cláudio Celso Alano da Cruz / Professor de Literatura da UFSC

Leia Mais ►

Latino americanos compartilham experiências na Amazônia

O debate sobre o desenvolvimento de sistemas produtivos que respeitem as condições ambientais e culturais da Amazônia vai reunir no Brasil especialistas de cinco países que dividem o bioma que concentra 60 por cento de todas as formas de vida do planeta.

O encontro será na tarde da  quarta-feira( 24) durante o VII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais (VII CBSAF). O evento realizado pela Embrapa e parceiros  será realizado de segunda-feira (22) no Centro de Treinamento Educacional da CNTI, em Luziânia (GO)  se estendendo até sexta-feira( 26).


O seminário Rede e experiências agroflorestais na Amazônia começa às 14h e terá mediação do engenheiro florestal Marcos Rugnitz Tito, do Centro Mundial Agroflorestal (Icraf). Segundo ele, os técnicos extensionistas e pesquisadores vão apresentar experiências institucionais exitosas, contextualizando ainda os obstáculos históricos e atuais para o avanço dos sistemas agroflorestais na região amazônica.


A primeira etapa do seminário será destinada às apresentações dos palestrantes internacionais: o peruano Roberto Lay Ruiz, do Instituto para o Desenvolvimento e a Paz Amazônica; o venezuelano Frans Torres da Fundação para o Desenvolvimento das Ciências Físicas, Matemáticas e naturais; o boliviano Fortunato Angola do Instituto para o Homem, Agricultura e Ecologia e Maria Neomice Martinez da Organização Não Governamental colombiana Corpomanigua.


Durante as apresentações, os debatedores farão perguntas à platéia, formada por produtores e técnicos para estimular as discussões. Depois, especialistas brasileiros do Amazonas, Pará, Mato Grosso, Maranhão e Pará apresentam suas experiências. Segundo o mediador do debate, que há mais de dez anos se dedica ao tema, a adoção de sistemas agroflorestais por agricultores de base familiar da região amazônica representa fator de segurança alimentar às populações.


Tito destaca que os Sistemas Agroflorestais (SAFs) são apontados como uma alternativa mais apropriada para uso das terras amazônicas, por reunir princípios ecológicos que aumentam a fertilidade do solo e recuperam os serviços ambientais indisponíveis em terras agrícolas degradadas. “Precisamos formar uma aliança que promova a atividade colaborativa transfronteiriça entre as instituições de pesquisa e extensão rural”, afirma. O seminário sobre redes agroflorestais na Amazônia será realizado no auditório Jequitibá .

Para acompanhar a programação completa e as notícias sobre o VII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais basta acessar www.embrapa.br/viicbsaf. O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Sistemas Agroflorestais e realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater/DF) e a organização não-governamental Mutirão Agroflorestal. A organização do VII CBSAF é da Embrapa Transferência de Tecnologia (Brasília/DF) e o evento conta com apoio da Embrapa Cerrados (Planaltina –DF) e da Embrapa Informação Tecnológica (Brasília/DF).

Fonte: Valéria Costa / Embrapa Transferência de Tecnologia

Leia Mais ►

22 de junho de 2009

Teatro de bonecos conscientiza estudantes

Conscientização de crianças e adolescentes feita através de teatro de bonecos. Meio ambiente, drogas, alcoolismo, atividade física e saúde foram alguns dos temas abordados.

Estudantes da terceira fase do curso de Educação Física da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), unidade de Chapecó, em parceria com a Escola Básica São Francisco, do Bairro Seminário, promoveu na última semana, apresentações do “Teatro de Bonecos”. O evento foi coordenado pela professora Sandra Rogéria de Oliveira, juntamente com o diretor da escola, Wanderlei Kosczinski.teaboneco

        A coordenadora explica que o objetivo da atividade é proporcionar à comunidade um espaço de lazer gratuito, além de integrar os estudantes do curso de Educação Física com a comunidade. Os bonecos foram confeccionados pelos próprios estudantes que também escreveram o texto das peças.

        “Através do teatro é possível conscientizar as pessoas da importância da prática de atividades físicas, da preservação do meio ambiente e do combate as drogas para a melhoria da qualidade de vida”, reforça.

        Sandra expõe que para os acadêmicos a atividade proporciona o exercício da recreação e do lazer de forma crítica e emancipatória.

Texto e foto por: Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Leia Mais ►

Cordeiro, vinho e negócios

Ela já foi considerada exótica e de consumo exclusivo das classes A e B.

Porém, dona de grande valor nutritivo e de grande versatilidade à mesa, a carne de cordeiro conquista, aos poucos, espaço entre todos os tipos de consumidores, particularmente no Rio Grande do Sul. Carne de cordeiro e vinho formam uma combinação perfeita à mesa. Assim, juntam-se aos criadores de cordeiro viticultores da região do Pampa gaúcho que estão mudando a direção dos seus negócios, deixando de ser apenas fornecedores de matéria-prima para se tornarem produtores de vinho.


Esta é a base do encontro de negócios ‘Sabores do Rio Grande’, que será realizado nesta segunda (22) e na terça-feira (23) em Caçapava do Sul – município do sudeste gaúcho, distante 263 km de Porto Alegre. O Sabores do Rio Grande é um projeto realizado por meio do programa Juntos para Competir, incentivado pelo Sebrae/RS e Sistema Farsul e Senar, e que tem como objetivo estimular as cadeias principais produtivas do agronegócio no Estado.


Ainda conhecida como um produto sofisticado, a carne de cordeiro ganha cada vez mais espaço na mesa dos restaurantes populares e nos churrascos de fim de semana. Há alguns anos, no entanto, a prática era consumir a carne da ovelha limitada ao descarte da produção de lã. E os ácidos graxos na gordura dos animais mais velhos resultavam em um sabor não tão agradável ao paladar.


No Brasil, os restaurantes mais sofisticados foram responsáveis por introduzir a carne em pratos refinados e adaptados à cultura local. Essa característica de versatilidade colocou a carne de cordeiro no gosto popular. Macia e com sabor marcante, já está presente em algumas redes de supermercados, disputando a atenção dos consumidores. Para estimular o seu consumo, uma dica é saboreá-la com uma boa taça de vinho fino. Durante o encontro Sabores do Rio Grande, é essa união que promete atiçar o paladar dos participantes.


De acordo com a gestora do projeto Ovinocultura na Região Centro, Fabiana Kellermann de Freitas, “o objetivo do evento é estimular o aumento da comercialização da carne com a marca Cordeiros da Província, de Caçapava do Sul, bem como divulgar os vinhos da região do Pampa gaúcho. Trata-se de uma ação que trabalhará os elos da cadeia produtiva relacionados ao varejo e consumidores”.


O presidente da Associação Caçapavana de Produtores de Ovinos e Caprinos (ACPOC), Edu Teixeira, diz que o setor está em processo de crescimento. “Além da rodada de negócios, também os cursos previstos no evento irão divulgar o consumo, ainda muito baixo no Brasil se comparado com o de países da Europa, e incrementar a comercialização”, salienta.


Teixeira explica que esta expansão inclui negociações com frigoríficos de âmbito estadual. “Estamos trabalhando para estabelecimentos com licença para operar em nível municipal. Nos próximos dias teremos uma definição para vendermos em outras cidades. Ou fechamos contrato com essas empresas, ou vendemos o animal para o abate”, disse o presidente da entidade, integrada por 16 produtores do município.


Três vinícolas, a Cooperativa Vinoeste, de Uruguaiana; Vinhos Guatambú de Dom Pedrito; e Vinícola De Luca, de Caçapava do Sul, também esperam incrementar seus negócios. Para o gestor do Projeto de Fruticultura do Pampa Gaúcho pelo Sebrae/RS, Tauê Bozzeto Hamm, a participação delas no encontro tem dupla importância. “Além da degustação dos produtos, do treinamento para profissionais do ramo e das possíveis negociações, a atividade servirá para posicionar que a região está deixando de fornecedora de uvas para as vinícolas da Serra e transformando-se em um importante pólo produtor de vinhos finos”.


Ao final da rodada, uma degustação especial apresentará os vinhos e pratos preparados com a carne de cordeiro para cerca de 150 potenciais consumidores e formadores de opinião. As vinícolas apresentarão suas bebidas em espaços individuais e as carnes serão servidas de acordo com o cardápio definido pelo cheff responsável.


A programação do evento inclui, também, treinamento gratuito para garçons, com o objetivo de oferecer conhecimento sobre as diferenças do vinho produzido no Estado e a forma correta de servi-lo com a carne do cordeiro, capacitando-os para um contato direto com o consumidor. Também será realizado um treinamento para cozinheiros, por meio do qual os participantes conhecerão a melhor forma de aproveitar por inteiro uma carcaça de cordeiro, a maneira correta de preparo e a elaboração de pratos.


O Sabores do Rio Grande é uma iniciativa do Programa Juntos para Competir, iniciativa do Sebrae/RS, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul). A terceira edição do evento, em Caçapava do Sul, conta também com a parceria da Associação Caçapavana de Produtores de Ovinos e Caprinos (ACPOC), grupo pertencente ao projeto Ovinocultura na Região Centro.


A primeira edição da iniciativa foi realizada em 2007, na cidade de Passo Fundo, e a segunda em 2008, em Santa Maria. O Programa Juntos Para Competir tem o objetivo de organizar e aprimorar as cadeias produtivas do agronegócio no Rio Grande do Sul, como a bovinocultura de corte, a suinocultura, a ovinocaprinocultura, a fruticultura, a floricultura, a vitivinicultura, a apicultura e a cultura da cana-de-açúcar e seus derivados.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Leia Mais ►

Como prevenir as doenças de inverno

A queda de temperatura e o clima seco são fatores que favorecem infecções e alergias respiratórias.

Essas condições facilitam o desenvolvimento dos agentes virais e a proliferação de infecções respiratórias. Além disso, as pessoas passam mais tempo em ambientes fechados, o que facilita a circulação de microrganismos e a transmissão das infecções de pessoa para pessoa.

Nestas condições ambientais,há, também, maior exposição das crianças e adultos a ácaros, poeira, mofo e demais substâncias alérgenas, o que provoca crises de asma, rinite e outras alergias respiratórias.

Estas infecções respiratórias podem ocorrer em qualquer época do ano. Porém, no inverno, as mucosas ficam ressecadas, diminuem as defesas locais do organismo e favorecem infecções como gripe, resfriado, amigdalite, faringite, sinusite e pneumonia. E nessa época aumenta, também, o número de internações em relação à outras estações do ano.alergia

Para os indivíduos que já sofrem de problemas respiratórios crônicos, como asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica,(DPOC), o período é adequado para procurar um médico especialista para avaliação e introdução de medidas de controle.

Especificamente para o resfriado, que é uma infecção viral, não existe medicamento com eficácia comprovada. Já para gripe e infecções bacterianas há medicamentos específicos. Mas, somente o médico é que poderá avaliar e prescrever o tratamento adequado.

Já a vacina contra a gripe é a única medida preventiva eficaz para reduzir a incidência, diminuindo também os índices de complicações, como as pneumonias. Esta vacina é fornecida gratuitamente pelo Governo Federal para todos aqueles com idade superior a 60 anos. E, também, está disponível na rede privada para todas as pessoas. Os idosos têm este benefício por serem mais vulneráveis não apenas à gripe, mas à pneumonia que se segue às infecções e é uma importante causa de internações e até de óbito entre este público.

A eficácia da vacina se deve a atualizações periódicas em sua composição, de acordo com a mutação viral, o que garante a imunidade todos os anos. O grau de proteção é variável; a cada dez vacinados, de sete a nove aproximadamente não terão gripe. De um a três podem se infectar, contudo, com sintomas mais leves que os habituais.

Prevenção da gripe

Para a prevenção da gripe, há medidas simples mas importantes para evitar a doença como as que se seguem:

  • Agasalhar-se bem e fugir da chuva são recomendações fundamentais. O choque térmico agride as vias aéreas, facilitando as infecções;
  • Alimentação equilibrada, horas regulares de sono e atividades físicas são imprescindíveis para melhora da defesa do organismo. Seguindo esses hábitos, mesmo em contato com o vírus, a pessoa pode não desenvolver a infecção.
  • Os ambientes devem ser sempre ventilados e, se possível, com temperatura agradável;
  • Nos dias mais secos, coloque uma bacia com água ou uma toalha úmida dentro do quarto antes de dormir;
  • Não deixe de ingerir líquidos. Além de hidratar, ajuda a manter a temperatura do corpo estável;
  • Lave as mãos com frequência, pois elas têm um grande poder de transmissão de agentes infecciosos;
  • Se tiver mais de 60 anos ou for portador de doença pulmonar crônica, vacine-se contra a gripe, de preferência, dois meses antes do inverno, para uma melhor reação do organismo e criação de anticorpos;
  • Seções de Acupuntura também ajudam a aumentar a resistência do paciente à infeções e previnem outras doenças.

Fonte: AMBA NEWS

Leia Mais ►

21 de junho de 2009

Rádios e as informações meteorológicas

Apesar de todas as inovações tecnológicas, o velho e bom rádio ainda ocupa lugar de destaque na comunicação.

Especialmente nas localidades mais afastadas, onde o acesso a outros meios, como internete e televisão, é mais difícil e, algumas vezes, até impossível. O rádio é o companheiro de todas as horas, sobretudo para o agricultor, que usa esse meio de comunicação como sua principal fonte de informação, já que o pequeno aparelho a pilha pode acompanhá-lo até em sua rotina diária na lavoura.


Ciente desse poder o setor de meteorologia da Epagri/Ciram tem no rádio um importante aliado e se utiliza desse meio para disseminar com eficiência e rapidez informações de previsão do tempo. Os meteorologistas da equipe atendem pessoalmente todos os dias cerca de 70 rádios de todas as regiões do Estado em boletins ao vivo ou gravados. Além destas, inúmeras outras rádios baixam o boletim meteorológico disponibilizado gratuitamente nos sites do Ciram e do Governo do Estado.


Erva-mate
A rádio Catarinense, de Joaçaba, é uma das atendidas todos os dias. Em agradecimento aos serviços prestados pela Epagri/Ciram uma das patrocinadoras da emissora enviou para ao setor de meteorologia 10 quilos de erva-mate. A singela atitude dá a medida da importância das informações prestadas pelos meteorologistas da Empresa.


Outro termômetro do alcance das informações geradas pelo setor de meteorologia da Epagri/Ciram foi uma correspondência, enviada pelo presidente da Coopearlfa, Romeo Bet, agradecendo “pelo excelente trabalho desempenhado pela equipe Epagri/Ciram”. Os meteorologistas da Epagri/Ciram gravam diariamente boletins especiais para a Cooperalfa e a Fecoagro. Só a Cooperalfa distribui esse programa para 14 emissoras de rádio atingindo mais de 14 mil famílias de agricultores filiadas. Na carta o presidente da cooperativa elogia a atuação do setor de meteorologia da Epagri/Ciram: “de fato, é um estudo específico feito pelo respectivo órgão estadual, que se traduz num serviço espetacular, pulverizado a milhares de pessoas do campo que podem, desta forma, efetuar seus planejamentos, investimentos e tratos culturais de maneira mais acertada”.


Acaert
No final do mês de maio a Rede de Noticias Acaert (Associação Catarinense de Rádio e Televisão) disponibilizou em seu site entrevista sobre a previsão de término do período de estiagem no Estado. De acordo com a instituição, 57 emissoras fizeram o download da gravação, em municípios de todas as regiões do Estado, como Xanxerê, Tubarão, Mafra, Itajaí, Palmitos e Lages, por exemplo.


Toda essa movimentação reflete a rotina normal do setor de meteorologia, que funciona 12 horas por dia em todos os dias da semana, inclusive sábados, domingos e feriados. Porém, em eventos extremos como enchentes e secas, o volume de trabalho aumenta consideravelmente, já que o interesse da imprensa e da sociedade pela previsão do tempo é bem maior nesses períodos.


Em breve o site da Epagri/Ciram passará a disponibilizar, além dos boletins diários, entrevistas gravadas com os meteorologistas sobre previsões específicas, como aquelas feitas para as mudanças de estações ou feriados, por exemplo. Todas essas ações tem um único objetivo: utilizar a agilidade e alcance do rádio para informar os catarinenses, com rapidez e precisão, sobre as condições previstas de tempo, informações cruciais para vários setores da sociedade, sobretudo a agricultura e a pesca.

Fonte: Gisele Dias - Assessoria de Comunicação Epagri/Ciram

Leia Mais ►

Miniusinas solares

A Universidade Federal de Santa Catarina inaugurou na manhã da última sexta-feira (19/6) três novos geradores solares fotovoltaicos. Dois deles estão instalados no campus, no Hospital Universitário e no Colégio de Aplicação. O terceiro está no aeroporto Hercílio Luz.


Além de demonstração, as novas estruturas permitirão acompanhamentos e estudos de desempenho. As instalações são resultado de uma parceria entre UFSC, Tractebel Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). No HU, a “miniusina” é formada por 15 módulos fotovoltaicos e cobre o telhado de um ambiente que poderá ser usado por qualquer pessoa que esteja na área do hospital. No Colégio de Aplicação o acesso é restrito, para uso dos estudantes como espaço de lazer, para lanchar e convivência. No Aeroporto Hercílio Luz, os módulos fotovoltaicos estão montados sobre a cobertura do Terminal de Carga Aérea.


Instalados em locais diferentes, os três sistemas terão a geração influenciada por suas localizações. A estimativa de geração média mensal é em torno de 200kWh, equivalente ao consumo de uma residência de dois dormitórios, com duas a quatro pessoas. "Os sistemas fotovoltaicos são conectados à rede e possuem um conjunto de módulos fotovoltaicos, que geram tensão e corrente contínua (CC), a partir da energia do Sol. A saída do painel fotovoltaico é levada a um inversor, que converte CC em CA. A saída do inversor (CA) é conectada à rede elétrica do prédio, no quadro de alimentação. Assim, a energia gerada pelo sistema é injetada na rede elétrica, alimentando cargas do prédio, que podem ser lâmpadas, computadores, etc.”, explica o pesquisador Trajano Viana, ligado ao Laboratório de Energia Solar (Labsolar) e ao Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (LabEEE), ambos da UFSC.


Segundo ele, quando há Sol existe geração fotovoltaica e o sistema supre uma parcela da energia consumida pelos aparelhos elétricos do prédio, proporcionando redução do consumo de energia da rede pública. Quando não há Sol, o sistema não gera e a energia virá totalmente da rede pública. Além disso, caso falte energia na rede do prédio, por desligamento da concessionária ou do disjuntor geral do quadro de alimentação, o inversor se desliga automaticamente e corta o fornecimento – e a rede fica desenergizada. Ao retornar a energia na rede do prédio, o inversor detecta a tensão e, automaticamente, se reconecta e passa a fornecer energia. “Todo esse processo de geração, conversão, autodesligamento, religamento, etc, ocorre de forma automática, silenciosa, sem qualquer interferência humana. Não há necessidade de um operador para o sistema fotovoltaico”, explica Viana.

Equipe estuda potencial e possibilidade de paridade

Os estudos no campo da energia solar vêm sendo desenvolvidos na UFSC há anos e diversos projetos buscam mostrar o potencial desse tipo de geração. Um deles, chamado Telhados Solares, avaliou o potencial da energia solar em Florianópolis. Os resultados obtidos demonstram que, embora a capital catarinense esteja localizada numa região de baixa incidência solar, correspondendo possivelmente ao caso mais desfavorável no país, ela está bem distribuída e pode proporcionar economia de energia elétrica e redução da demanda em horários de pico diurno (que ocorre devido ao uso de ar condicionado).


Estudos do grupo indicam também que, entre 2012 e 2013, algumas regiões do Brasil poderiam ter preços equivalentes de energia fotovoltaica e tarifa residencial. Os dados foram obtidos em simulações de cenários para um programa solar brasileiro. As simulações foram realizadas através do desenvolvimento de planilhas eletrônicas, onde é possível identificar, entre diversos itens, o custo total do programa, o impacto tarifário que teria pela diluição dos custos aos consumidores finais e o momento em que o preço da energia fotovoltaica e da tarifa cobrada pela concessionária seria o mesmo para o usuário final. O objetivo das equipes com esse tipo de estudo é gerar dados que auxiliem o desenvolvimento de políticas públicas para uso da energia solar no país.


Mais informações: Trajano Viana / Laboratório de Energia Solar / Laboratório de Eficiência Energética em Edificações / Fone: 48 3721-5184 / 3721-5185 / E-mail: trajano@labeee.ufsc.br

Saiba Mais:
- A UFSC inaugurou em 1997 a primeira instalação solar integrada à arquitetura e interligada à rede elétrica pública do Brasil. O sistema continua funcionando e convertendo energia solar em eletricidade por meio de módulos fotovoltaicos instalados na cobertura do Bloco A do Departamento de Engenharia Mecânica da UFSC.
- Desde então a UFSC já implantou vários outros geradores utilizando esta tecnologia. Um deles na Fortaleza de Ratones. Outro está no Centro de Cultura e Eventos da universidade desde 2000.Os módulos foram integrados à cobertura do Centro, com o objetivo de demonstrar o potencial da energia solar.

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom/UFSC

Leia Mais ►

Internet é essencial para crescimento das pequenas empresas

Avaliação é do gerente de suporte para pequenas empresas do Google, Luciano Santos.

A internet revolucionou a comunicação e isso inclui a forma de fazer comércio e propaganda. A inserção das micro e pequenas empresas nesse mundo é fundamental para o seu crescimento. A avaliação é do gerente de suporte para pequenas e médias empresas do Google, Luciano Santos, em palestra, nesta semana, para técnicos do Sebrae, em Brasília.


Luciano deu uma noção da importância da internet: hoje, 1,4 bilhão de pessoas estão on line no mundo, a América Latina tem 141 milhões de internautas e a estimativa é de que 64 milhões estejam no Brasil, onde a banda larga também cresce em âmbito doméstico. Esse ambiente é reforçado com o surgimento das chamadas comunidades, ampliando o potencial desse meio de comunicação.


“Hoje, a internet não é só venda, compra ou possibilidade de fazer propaganda, é, também, a possibilidade de fazer perguntas e dar opiniões para tomar decisões” exemplificou. Luciano também lembrou: o comércio eletrônico já é uma realidade no País, tanto que o e-comerce é um negócio bilionário estimado, este ano, em R$ 9,2 bilhões. Os anunciantes, por sua vez, já estão percebendo esse potencial. Em 2008, o investimento em publicidade on line foi de R$ 759 milhões, informou o palestrante.


Por outro lado, lembrou, a realidade da propaganda nos meios tradicionais como rádios, jornais, revistas e televisão também mudou especialmente com o aumento da quantidade de veículos. Isso, entende, dificulta maior alcance do público-alvo, principalmente para os pequenos negócios, com poucos recursos para investir nessa pulverização e tendo que optar por um ou outro veículo.


Na sua avaliação, é impossível para uma empresa “tentar atingir um grande público utilizando os meios tradicionais se não for uma multinacional”. A alternativa, acredita, está na internet, acessada diariamente por milhões de pessoas e permitindo, aos internautas, encontrar o que procuram de maneira mais rápida.


Entre as vantagens da internet, Luciano relaciona segmentação, “permitindo a escolha do público que acessará à propaganda ou o produto oferecido; flexibilidade, não havendo necessidade, por exemplo, de esperar a impressão ou publicação de determinado material publicitário; e a possibilidade de mensurar a efetividade da iniciativa. Luciano admite, porém, que muitas pequenas e até médias empresas enferntam o problema da exclusão digital, não só pela falta de acesso à internet, mas também pela dificuldade em utilizar suas ferramentas. Por isso, admite, muitas dessas empresas entram nesse mundo digital mas acaba saindo.


“Isso tira a possibilidade da empresa concorrer de maneira justa com outras, porque quem consegue utilizar o sistema está na frente”, diz. Segundo ele, o próprio Google, vem buscando meios para treinar esse público de forma on line, mas encontra resistências. O ideal, acredita, é levar educação digital a essas pessoas em sala de aula, nformando “desde o que é e qual a importância da internet até a utilização da publicidade e do comércio on line”.

Por: Dilma Tavares da Agência Sebrae de Notícias

Leia Mais ►

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 5 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog