9 de janeiro de 2009

Jesus nasceu em uma botica em São Paulo

Nas ruas estreitas de São Paulo homens, mulheres, jovens e crianças se deslocam para um local muito especial. É segunda-feira, dia 26 de dezembro de 1858, segundo dia de Natal. Todos vão até a Botica “Ao Veado de Ouro” na Rua São Bento. Um nome um tanto estranho para a cidade. A família Schaumann, vinda de Campinas, fundara a botica há pouco tempo. Rapidamente ela se tornou um ponto de referência para os imigrantes alemães da cidade.


A notícia sobre a presença de um pastor, vindo da Colônia Dona Francisca (Joinville-SC), movimentou o pequeno grupo de evangélicos/protestantes alemães da pacata cidade de 27 mil habitantes. A informação se espalhou rapidamente e todos haviam esperado ansiosamente por aquele dia.

O Pastor Georg Hoelzer tinha chegado à cidade após longa e atribulada viagem. A subida da Serra do Mar fora bastante complicada. Na verdade, ele estava a caminho para o interior de São Paulo. Tinha como missão acompanhar pastoralmente os evangélicos alemães que trabalhavam nas fazendas de café nas imediações de Limeira. Mas por que não atender ao clamor dos filhos e filhas de Deus da cidade de São Paulo que estavam sequiosos pela palavra de Deus?

A botica estava lotada. Sobre uma mesa ornada com uma toalha branca estavam duas velas acesas e uma cruz. Uma Bíblia aberta, ladeada por flores, completava o altar improvisado. A presença do sagrado estava sinalizada. O evento apontava para novos tempos. Indicava para a possibilidade de um cristianismo de múltiplas expressões. Comunicava a pluralidade religiosa em terras paulistanas. De forma discreta, num canto da sala, uma pequena árvore decorada revelava que as tradições familiares européias não haviam sido esquecidas.

O culto começou sem o toque de sinos. Era terminantemente proibido para os acatólicos ostentarem qualquer aspecto exterior que lembrasse algum templo. Quando o Pastor Georg Hoelzer surgiu com seu talar escuro e peitilho branco, o ar impregnado pelo cheiro dos remédios da botica foi tomado por uma emoção muito forte. Lágrimas brotaram nos olhos quando a melodia do hino “Vom Himmel hoch da komm ich her” ecoou na sala. O que dizer então quando „Ihr Kinderlein, kommet, o kommet doch all“, “Es ist ein Ros entsprungen“, “ O du fröhliche, o du selige”, e “Stille Nacht, heilige Nacht! “ foram entoados?

A bênção final enviou a todos para a dura vida daquela que viria a ser a maior cidade brasileira. O culto preenchera um vazio. Este fora o primeiro culto evangélico-luterano em São Paulo e não seria o último. Foi um começo muito especial - a natividade de novos tempos. Natal-natividade em meio a receitas, fórmulas, frascos, embalagens.

Jesus nascera em uma botica em São Paulo.

Por: Rolf Schunemann
http://www.luteranos.com.br/
Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 4 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog