25 de maio de 2009

Jogos de Cartas: Cálculo - Conheça as regras da mais difícil das paciências

O Cálculo talvez seja o jogo de paciência mais difícil de ganhar. É uma paciência que exige muita atenção por parte do jogador, pois sua vitória depende não apenas da colocação das cartas, mas também de uma previsão de jogadas. Ao contrário de outras paciências, como o Klondike, o naipe e a cor das cartas não são considerados no Cálculo. Utilizando um baralho comum, o jogador inicia o jogo abrindo sobre a mesa, uma ao lado da outra, 4 cartas: Ás, 2,3 e 4 de qualquer naipe ou cor. Essas cartas são chamadas de cartas-base, e sobre elas serão construídas as fundações ou sequencias de cartas até o Rei. Estas sequencias devem ser formadas da seguinte maneira:

1) Sobre o Ás colocam-se cartas em sequencia de 1: 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, J, Q e K.

2) Sobre o 2 colocam-se cartas em sequencia de 2: 4, 6, 8, 10, Q, Ás, 3, 5, 7, 9, J e K.

3) Sobre o 3 colocam-se cartas em sequencia de 3: 6, 9, Q, 2, 5, 8, J, Ás, 4, 7, 10 e K.

4) Sobre o 4 colocam-se cartas na sequencia de 4: 8, Q, 3, 7, J, 2, 6, 10, Ás, 5, 9 e K.

Após abrir as quatro cartas-base na mesa, o jogador deve embaralhar as e abrir as quatro cartas de cima do baralho, dispondo-as uma ao lado da outra a uma certa distância das cartas-base. Essas cartas formam a base dos 4 montes de reserva, sobre os quais serão colocadas as cartas que não forem imediatamente utilizadas nas fundações. Para as fundações só podem ir as cartas da mão ou as cartas de cima, e apenas as de cima, dos montes reservas.cartasBar

Quando terminar um monte de reserva inicia-se em seu lugar um novo monte, abrindo-se para isso a primeira carta de cima do baralho. O jogador será vitorioso se conseguir colocar todas as cartas da mão e dos montes de reserva, nas fundações. Uma regra muito importante dessa paciência é que o jogador pode escolher qualquer monte de reserva para colocar a carta que acabou de abrir e que não serviu para nenhuma fundação. E é justamente essa colocação que exige maior raciocínio, pois a distribuição das cartas nos montes pode facilitar ou dificultar sua retirada para as fundações.

A melhor estratégia é tentar colocar as cartas nos montes reservas na sequencia inversa à das fundações para que fiquem mais próximas das cartas-base. Para a fundação do Ás, por exemplo, a melhor ordem seria K, Q, J, 10 etc. Já as cartas de mesmo valor devem, preferencialmente, serem colocadas em montes diferentes, pois se uma delas ficar obstruída, o jogador poderá lançar mão da carta de outro monte. Os Reis, ao contrário, podem ser colocados no mesmo monte, dessa forma se não saírem logo no início do jogo, o que seria melhor, obstruirão apenas um dos montes de reserva. Conseguir tudo isso é muito difícil, mas o bom jogador deve tentar sempre. E se você conseguir jogar com uma outra estratégia, que tal nos contar? Bons jogos.

Leia também:

Jogos de Cartas: Conheça o Tute

Jogos de Cartas: O baralho espanhol

Jogos de Cartas: Saiba como nasceu a paciência

Fonte de pesquisa: Todos os Jogos, Editora Abril, 1978.

Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

  1. Parece difícil mesmo, Luiz. Guardei este post para quando tiver mais tempo, tentar jogar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Ah, sou ruim de cartas, mas gardei as dicas aqui para quem sabe mudar esse quadro. Abraços.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há um dia
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há uma semana
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog