16 de abril de 2009

Febre Amarela: Catarinenses de munícipios na fronteira com o RS serão vacinados

A notificação de febre amarela em municípios do Rio Grande do Sul levou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde a disponibilizar a vacina contra a doença para a população de nove municípios catarinenses que fazem divisa com o estado gaúcho. As doses serão aplicadas gratuitamente, nos postos de saúde, a partir de 25 de abril, simultaneamente à vacinação contra a gripe. A orientação é para que sejam vacinados todos os moradores, a partir de um ano de idade, das cidades de Anita Garibaldi, Capão Alto, Campo Belo do Sul, Campos Novos, Capinzal, Celso Ramofebreamarelas, Cerro Negro, Piratuba e Zortéa.

Desde que o Ministério da Saúde anunciou a circulação do vírus da febre amarela no Brasil, em 2008, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica passou a oferecer a vacina à população de 59 municípios. Agora, mais nove cidades foram incluídas à lista e a expectativa é que, a partir de 25 de abril, 83 mil pessoas sejam imunizadas contra a doença. "É uma medida de prevenção, já que em Santa Catarina não existe registro de  ocorrência de febre amarela nem mesmo em macacos, que vivem na mata e seriam vítimas muito mais fáceis do que os humanos", observa Luis Antonio Silva, diretor estadual de Vigilância Epidemiológica. "Não há motivo para alerta no Estado. Esta é uma medida com caráter preventivo, para aumentar o nível de segurança da população", completa.


A febre amarela urbana foi erradicada no Brasil em 1942. Como o vírus continua a circular na natureza, permitindo inclusive o registro de epizootias (morte de macacos, que são os hospedeiros do vírus), o Ministério da Saúde definiu, em 2008, uma área de Santa Catarina, composta por 28 municípios, a ser considerada "Área de Transição" da doença. Isso significa que ali já houve a circulação ocasional do vírus da febre amarela entre primatas (macacos). Ainda no ano passado, mais 31 municípios passaram a ter a vacina disponível. "É muito importante esclarecer que só pode receber a vacina quem nunca foi vacinado contra a febre amarela ou quem foi imunizado contra a doença há mais de 10 anos", enfatiza Suzana Zeccer, gerente de Vigilância das Zoonoses da Diretoria de Vigilância Epidemiológica.

Na febre amarela silvestre o vírus circula entre os macacos que, no período de viremia, ao serem picados por mosquitos, passam o vírus a estes insetos. Se um homem entrar na mata sem a proteção da vacina e for picado por um mosquito infectado, passa a ser inserido no ciclo de transmissão (macaco - mosquito silvestre - homem). Já na febre amarela urbana, o vírus é introduzido no ciclo pelo homem. "Ao ser picado pelo Aedes Aegypti , este vetor torna-se infectado, passa pelo período de incubação extrínseca e estará apto a transmitir o vírus para outras pessoas suscetíveis, iniciando o ciclo de transmissão homem - Aedes Aegypti - homem", diferencia Suzana.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina

Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

  1. É incrível como Dengue e Febre Amarela nos acompanham até hoje. Já que não conseguimos erradicá-la, que nos vacinemos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. A febre amarela é algo em que não se pode brincar. Ela é perigosa e mortífera. O mais lamentável de tudo isso que nunca ninguém consegue erradica-la de uma vez.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 5 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog