29 de julho de 2009

Cuidado na hora de adquirir um imóvel

È preciso estar atento e procurar profissionais de confiança para não acabar saindo no prejuízo.

Com tantos incentivos à construção civil e à habitação por parte do governo federal, como medida para combater a crise, podemos presenciar um momento em que as facilidades para a aquisição de um imóvel novo, usado e até mesmo na planta, têm aumentado consideravelmente.

Diante deste cenário, o Sindicato do Mercado Imobiliário Secovi/Oeste/SC chama atenção dos possíveis compradores de imóveis para que tenham cautela na hora de fechar um negócio, observando o histórico e a idoneidade das empresas e profissionais que estejam intermediando a transação imobiliária. O presidente do Secovi/Oeste, Paulo Jorge Lise, informa que chegaram ao sindicato reclamações sobre empresas, com abertura recente no município, que estariam com a oferta de apartamentos sem projeto aprovado pelo município de Chapecó, sem averbação do empreendimento e sem a matrícula do imóvel junto ao Ofício de Registro de Imóveis.

“Os interessados em adquirir um imóvel precisam estar atentos e procurar profissionais de confiança para não acabar saindo no prejuízo. Imobiliárias sérias sabem que é ilegal a prática do cadastro de pretendentes, que na verdade já caracteriza a venda antecipada da unidade”, aponta Lise

O assessor jurídico do Secovi/Oeste, Daniel Ricardo Maggioni, explica que, conforme a legislação, essa prática trata-se de crime contra a economia popular, bem como outras sanções contra o consumidor, que podem, inclusive, gerar o cancelamento das vendas, devolução das quantias pagas, perdas, danos e lucros cessantes.

Maggioni orienta que o comprador do imóvel pode solicitar ao vendedor a apresentação dos documentos referentes a obra. “Em caso de dúvidas, é melhor não fechar o negócio, sem esclarecê-las antes. Os interessados também podem procurar o Secovi/Oeste para esclarecimentos” destaca.

De acordo com Maggioni, se comprovada este tipo de infração, a empresa receberá uma notificação extrajudicial alertando sobre a gravidade da situação e com prazo para regularização, evitando a abertura de um processo criminal que pode ter como pena a reclusão de um a quatro anos e multa de cinco a 50 vezes o valor do maior salário mínimo vigente no país.

Fonte: Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

  1. Muito boa sua matéria, bem informativa e serve de alerta aos futuros candidatos a compra de casa própria.
    A paz

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 5 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog