18 de maio de 2009

Semana da enfermagem relembra a história da profissão

Os dias que marcam o início e o fim da Semana Brasileira de Enfermagem tem um importante significado histórico, por estarem vinculados a duas personalidades da categoria. O dia 12 de maio, data em que se comemora o dia nacional do enfermeiro é referência ao aniversário de Florence Nightingale, precursora da enfermagem moderna. O dia 20, quando é comemorado o dia do técnico de enfermagem eFlorence_Nightingalestá relacionado à data da morte de Ana Neri, enfermeira brasileira que se destacou ao atuar na guerra do Paraguai.

Considerada a fundadora da enfermagem moderna, a italiana, Florence Nightingale é lembrada por suas contribuições para a melhoria das condições sanitárias dos hospitais militares de campo e por seu trabalho durante a guerra da Criméia em 1854. Na guerra, atuou com 38 voluntárias entre religiosas e leigas vindas de diferentes hospitais e, ao longo de seu trabalho, conseguiu reduzir significativamente a mortalidade de soldados.

Após receber um prêmio do Governo Inglês pelo trabalho durante a guerra, fundou, no ano de 1860, a escola de Enfermagem no Hospital Saint Thomas, que passou a servir de modelo para as demais instituições que surgiram posteriormente. A disciplina rigorosa, do tipo militar, era uma das características da escola, bem como a exigência de qualidades morais das candidatas.

Florence morreu em agosto de 1910, em Londres, e a partir de então, a profissão passou a ser uma ocupação assalariada que vem atender a necessidade de mão-de-obra nos hospitais,          constituindo-se como uma prática social institucionalizada e específica.

No Brasil, a baiana Ana Neri deixou prevalecer o seu coração de mãe e decidiu acompanhar os filhos e irmãos na maior luta armada da América Latina, a guerra do Paraguai (1865-1870). Proprietária de fazendas de fumo, cana-de-açucar e algodão, ela serviu de enfermeira voluntária, enfrentou a morte de perto para salvar vidas, inclusive de inimigos da pátria e tornou-se um exemplo no mundo como pioneira da Cruz Vermelha no Brasil. Hoje, é cultuada como a patrona dos Enfermeiros do Brasil.AnaNery

Seguindo os preceitos das precursoras da enfermagem, a Unimed Chapecó prioriza desenvolver um trabalho valorizando a qualificação e o atendimento humanizado. Atualmente, fazem parte da equipe, 25 enfermeiros com especialização e 196 técnicos que atuam em diversas áreas do Complexo Unimed, dentre elas, internação clínica e cirúrgica, centro cirúrgico, pronto atendimento, Unimagem, auditoria de enfermagem, Univida, Medicina Ocupacional, materno-infantil, entre outros. “Buscamos desenvolver um trabalho de qualidade técnica, porém, sem perder a qualidade humanitária”, destaca a coordenadora de enfermagem da Unimed Chapecó, Sandra Marin.

Para conquistar essa missão, o Complexo Unimed oferece anualmente aproximadamente 40 horas de treinamento envolvendo qualidade técnica e atendimento humanizado. “Incentivamos a qualificação profissional e o atendimento com humanização, porém, é importante que o colaborador goste do que faz e atue como profissional e não como funcionário”, destaca Sandra.

Texto de: Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 6 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog