18 de maio de 2009

Cuidado! Este vírus é 100 vezes mais infectivo que o HIV

Para marcar o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, 19 de maio, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) criou estratégias para divulgar a doença e estimular a vacinação, contra a hepatite B, nos menores de 20 anos. A intenção é garantir que, com a informação, as pessoas conheçam os fatores de risco, as formas de prevenção e a possibilidade da detecção precoce da doença. O vírus causador da hepatite B é 100 vezes mais infectivo que o HIV, e as hepatites crônicas B e C podem levar à morte por doença hepática em 25 % dos casos.

No ano passado, foram confirmados em Santa Catarina 1.782 casos de hepatite B e C através de diagnóstico sorológico. Destes, 322 pacientes foram a óbito. Considerada um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, a hepatite B é a causa da morte de 1 milhão de pessoas por ano em todo o planeta. Atualmente, a estimativa é de que, no mundo, cerca de 1 milhão e meio de pessoas estejam infectadas com o vírus da Hepatite A, 350 milhões (mais ou menos 5% da população mundial) com o vírus da Hepatite B, e quase 200 milhões com o vírus da Hepatite C, dos quais 3,2 milhões estão no Brasil.hepatite

Dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) apontam que a média de custos anuais do Sistema Único de Saúde com internações por hepatite viral, hepatocarcinoma (tipo de câncer) e transplante de fígado é de R$ 107.362,05, R$ 117.013,49 e R$ 3.619.851,77, respectivamente. Os valores triplicam se incluídos os custos com medicamentos. "O beneficio social e econômico é muito mais representativo quando investimos em prevenção, por isso disponibilizamos, através dos postos de saúde municipais, a vacina anti-hepatite B", explica a responsável pelo Programa Estadual das Hepatites Virais da DIVE, Elaine Tritany.

A vacina é oferecida, gratuitamente, a menores de 20 anos de idade e adultos pertencentes a grupos suscetíveis à infecção, como profissionais do sexo e profissionais que atuam em unidades de saúde. "Além de oferecer a vacina, também realizamos todos os anos uma Mobilização para a conscientização da população sobre os diferenciais de cada hepatite e a importância da prevenção. Se não forem combatidas, estas doenças podem duplicar sua incidência em 10 anos", alerta. No mundo, apenas 30% dos países oferecem vacinação contra a hepatite B na infância.

Com informação adequada, a população passa a evitar a doença, através da adoção de hábitos saudáveis. A hepatite é a inflamação do fígado e pode ser provocada por abuso de bebida alcoólica, por reação não desejada a alguns remédios e por vírus. Somente a hepatite viral é transmitida de uma pessoa para outra. O vírus é muito resistente, e pode durar de horas a dias em materiais contaminados de sangue e secreções, sendo facilmente transmitido através do sexo sem camisinha e do uso de drogas com o compartilhamento de agulhas e seringas. Além do tratamento ser delicado, o diagnóstico é difícil. Os sintomas podem se manifestar alguns anos após a infecção, o que representa uma ameaça silenciosa para qualquer pessoa.

O ABC DA HEPATITE

Dos 6 milhões de brasileiros portadores de hepatites, cerca de um terço tem coinfecção com o vírus HIV. Em 2008, foram notificados e investigados 3.369 casos de hepatites virais em Santa Catarina. As hepatites virais mais comuns são a do tipo B e C, sendo predominante em determinadas regiões conforme suas características. Como a hepatite B é uma doença sexualmente transmissível, as fontes de infecção mais comuns são pelo sexo desprotegido e pelo compartilhamento de objetos perfurocortantes sem a esterilização adequada, como alicate, navalha, aparelho de barbear e instrumentos cirúrgicos. O maior número de casos é registrado na região Oeste, sendo mais frequente em mulheres de 20 a 39 anos. Por isso, a importância da vacinação nas pessoas com menos de 20 anos de idade.


Já a principal forma de infecção da hepatite C é pelo uso compartilhado de drogas injetáveis, além de transfusões de sangue ou hemoderivados ocorridas antes de 1993. A maioria dos portadores do vírus é do sexo masculino com idade entre 40 e 49 anos. A maior incidência da doença em Santa Catarina se apresenta no Sul e no litoral do Estado. A relação da Hepatite C com o vírus da Aids é muito estreita. Descoberto apenas em 1989, o vírus da Hepatite C só é transmitido pela relação sexual em 3% dos casos. Seu contágio está muito mais ligado ao contato com sangue infectado, tanto que pesquisas apontam que usuários de drogas injetáveis que compartilharem seringas por um ano têm 50% de chance de contrair a doença.


A Hepatite C é a principal causa de transplante de fígado no Brasil. Para evitar que a doença evolua, existem tratamentos - que podem chegar a R$ 48 mil anuais por paciente - e que só são indicados quando a doença se manifestar na forma crônica, em função de seus efeitos colaterais. Causa prostração, anemia, náusea, sensação de gripe, irritação e depressão, o que muitas vezes leva ao abandono do tratamento.
Existem ainda outros tipos de Hepatites, como a Delta, que só se manifesta em organismos já acometidos pelo vírus B, muito comum na região Amazônica, e a Hepatite E, também contagiosa, que ocorre tanto sob a forma epidêmica como esporádica, em áreas endêmicas de países em desenvolvimento. Além da etiologia viral, a Hepatite pode ser também desencadeada por determinadas drogas, chás, resíduos tóxicos, consumo de álcool, doenças autoimunes e metabólicas.

SAIBA MAIS:


HEPATITE A: Sua incidência está diretamente relacionada com o saneamento básico e o tratamento da água. A principal via de contágio é fecal-oral, por contato inter-humano ou por água e alimentos contaminados. É tratada com repouso, dieta e jejum de álcool.

HEPATITE B: O contágio costuma se dar através de relações sexuais desprotegidas, uso compartilhado de seringas, procedimentos com equipamentos não-esterilizados (em manicures, tatuadores, dentistas) e acessórios domésticos (para quem compartilha escovas de dente e lâminas de barbear). Os sintomas da Hepatite B crônica quando manifestos, são: fadiga, problemas digestivos, cirrose, edema, icterícia, ascite, varizes de esôfago e alterações hematológicas. Neste caso o tratamento é feito com medicamentos, em ambulatório especializado.

HEPATITE C: Progride para a forma crônica em 85% dos casos. o contágio, normalmente, se dá pelo contato com o sangue infectado, através do uso compartilhado de seringas, procedimentos com equipamentos nãoestrilizados (em manicures, tatuadores, dentistas) e acidentes ocupacionais.O contágio em transfusão de sangue e hemodiálise é muito raro desde o início da testagem obrigatória, em 1993. O portador da Hepatite C pode apresentar fadiga, problemas digestivos, cirrose, icterícia, edema, varizes de esôfago e alterações hematológicas e o tratamento é feito com a aplicação de medicamentos em ambulatório especializado.

Fonte:Secretaria de Estado da Saúde

Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

  1. Amado Luiz, muito boa escolha de seu post, esplicando os males causados pelos tipos epatite existentes, e lembrando o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, realamente é uma infecção que deve de ser prevenida e levada a sério.
    A paz

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 6 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog