9 de fevereiro de 2009

Mulheres são as maiores vítimas

As mulheres são as maiores vítimas das dores nas costas. Essa constatação é aferida periodicamente pelas pesquisas sobre qualidade de vida e confirmada diariamente nos consultórios médicos. De acordo com o ortopedista e traumatologista Joaquim Reichmann, a dupla jornada de trabalho e a falta de exercícios físicos regulares estão na base desse mal.

A incidência de dor lombar nas mulheres, a medida que o tempo passa, é de três a quatro vezes maior que o homem. O sinal de alerta é a dor contínua, causada também quando há excesso de peso. Cerca de 80% do peso do corpo reverte em pressão localizada sobre as vértebras da coluna, que aumenta em até 400% no momento que as costas estão curvadas. Esta pressão estoura sobre as vértebras e é uma das causas de dor, mas não é única.

A dor é multifatorial e outros fatores concorrem para seu surgimento, como a questão genética, o aparecimento de hérnia de disco e a desidratação ocorrida no núcleo dos discos entre as vértebras. Reichmann diz que as estatísticas são implacáveis “80% da população terá em algum momento da vida a temível dor nas costas” ressalta.

O homem, por outro lado, sofre menos com as dores nas costas porque tem a musculatura lombar mais forte, o que protege mais as vértebras e os discos intervertebrais. Assim, a musculatura funciona como um amortecedor externo e a descarga do peso e dos traumas ocorre, primeiramente, na musculatura e, somente após, nos discos e vértebras.

Para as mulheres prevenirem ou amenizarem os males, o médico indica exercícios de alongamento, reeducação postural, perda de peso e até a redução cirúrgica das mamas. A dor freqüente justifica uma consulta ao ortopedista também pelas crianças.

“A mulher paga caro pela dupla jornada de trabalho de mãe e de profissional que executa diariamente”, observa. Joaquim Reichmann recomenda exercícios de fortalecimento e alongamento da musculatura lombar e, também, correção postural.

Marcos A. Bedin
MB Comunicação
Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

  1. Essa informação tem fundamento, pois eu não tenho nenhuma dor nas costas, mas minha esposa tem bastante, já fez de tudo e sempre volta.

    ResponderExcluir
  2. Eu faço parte das exceções, infelizmente. Tenho muitas dores nas costas, vou precisar investir numa cadeira melhor e me fiscalizar para fazer mais pausas e alongamentos senão a coisa vai complicar a médio prazo.

    Abração

    ResponderExcluir
  3. Como dito: “A mulher paga caro pela dupla jornada de trabalho de mãe e de profissional que executa diariamente”. Isso é uma grande verdade, mas é uma questão cultural que tem melhorado um pouco. Há muitos homens que compartilham os afazeres domésticos. Um abraço. Drauzio Milagres.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 4 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog