5 de outubro de 2009

Cuidado com os movimentos repetitivos

A ausência de tratamento resulta em dor e limitação de movimentos e no ombro, evolui para tendinite e síndrome do impacto.

Um número cada vez maior de pessoas que praticam movimentos repetitivos – como tenistas, nadadores, trabalhadores especializados e outros profissionais – estão sendo acometidos de bursite. A inflamação da bursa, pequena bolsa que existe nas articulações do ombro, cotovelo, quadril, joelho e tornozelo, causa dores, limita movimentos e cria desagradáveis desconfortos ao paciente.

O médico ortopedista e traumatologista, Joaquim Reichmann, explica que os processos inflamatórios que caracterizam a bursite são provocados por encurtamento muscular, esforços repetitivos, traumatismos e alterações anatômicas (menos espaço no ombro para o tendão do supra espinhoso).

Sobre a identificação do problema, Reichmann, explica que o exame físico detecta 90% dos problemas e que podem ser usados recursos complementares como raio-X, ultra-som e ressonância magnética. “O tratamento dura em média de uma a três semanas e inclui antiinflamatórios, infiltrações, alongamentos e fisioterapia”, orienta.

A ausência de tratamento resulta em dor e limitação de movimentos. No ombro, evolui para tendinite e síndrome do impacto que é uma doença de evolução progressiva que se não for corretamente tratada ou interrompida numa fase avançada, exige tratamento cirúrgico.

“A falta de tratamento acarreta limitação funcional dolorosa da articulação que pode evoluir para limitação quase total dos movimentos. Essa situação é causada pela retração muscular, capsular e tendinosa provocada pela falta de movimentos da articulação em sua plenitude”, argumenta o médico.

A bursite de ombro e a de tornozelo ocorrem em qualquer faixa etária; a de joelho e de cotovelo são mais comuns após 40 anos. A bursite de quadril ocorre com mais frequência nas mulheres após 40 anos em razão do formato anatômico.

Reichmann observa que ocorre habitual confusão entre bursite e tendinite. Esclarece que a bursite acomete somente a bursa. Tendinite é a fase seguinte com inflamação do tendão que está num plano mais profundo. As tendinites não tratadas adequadamente podem evoluir e causar ruptura parcial ou total do tendão, necessitando, nesse estágio, tratamento cirúrgico.

Fonte: Marcos A. Bedin
MB Comunicação Assessoria de Imprensa
(49) 3323-4244, (49) 9967-4244
mb@mbcomunicacao.com.br

Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

  1. Nem me fala, Luiz... Convivo com minha tendinite, resultado de 16 anos de trabalho e muitos de negligência. A se pudesse voltar no tempo... hehe

    Abração

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 5 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog