8 de novembro de 2009

Economia Solidária: Uma outra economia acontece

Uma nova economia baseada na colaboração, onde o mais importante é o bem estar das pessoas e não os lucros. A Economia Solidária resgata as lutas históricas dos trabalhadores que tiveram origem no início do século XIX, sob a forma de cooperativismo, como uma das formas de resistência contra o avanço avassalador do capitalismo industrial. No Brasil, ela ressurge no final do Século XX como resposta dos trabalhadores às novas formas de exclusão e exploração no mundo do trabalho.

As mudanças estruturais, de ordem econômica e social, ocorridas no mundo nas últimas décadas, fragilizaram o modelo tradicional de relação capitalista de trabalho. O aumento da informalidade e a precarização das relações formais afirmaram-se como tendência em uma conjuntura de desemprego, levando trabalhadores a se sujeitar a ocupações em que seus direitos sociais são abdicados para garantir sua sobrevivência.ecosolidaria

Economia Solidária é um jeito diferente de produzir, vender, comprar e trocar o que é preciso para viver. Sem explorar os outros, sem querer levar vantagem, sem destruir o ambiente. Cooperando, fortalecendo o grupo, cada um pensando no bem de todos e no próprio bem.

A economia solidária vem se apresentando, nos últimos anos, como inovadora alternativa de geração de trabalho e renda e uma resposta a favor da inclusão social. Compreende uma diversidade de práticas econômicas e sociais organizadas sob a forma de cooperativas, associações, clubes de troca, empresas autogestionárias, redes de cooperação, entre outras, que realizam atividades de produção de bens, prestação de serviços, finanças solidárias, trocas, comércio justo e consumo solidário.

Considerando essas características, a economia solidária aponta para uma nova lógica de desenvolvimento sustentável com geração de trabalho e distribuição de renda, mediante um crescimento econômico com proteção dos ecossistemas. Seus resultados econômicos, políticos e culturais são compartilhados pelos participantes, sem distinção de gênero, idade e raça. Implica na reversão da lógica capitalista ao se opor à exploração do trabalho e dos recursos naturais, considerando o ser humano na sua integralidade como sujeito e finalidade da atividade econômica.

Para saber mais sobre Economia Solidária, acesse: www.fbes.org.br

Fonte: Senaes e Fbes

Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

  1. Bom dia meu amigo... Parabens pelos seus posts e muito obrigado pelas sabias palavras deixadas em meu blog...

    Gilberto Queiroz

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Fundar uma ONG não é Complicado - Incentivar, ajudar, se doar, frequentemente faço isso. Algumas pessoas não percebem o quão fácil é agir dessa maneira, e quantos benefícios isso trás para ...
    Há 3 horas
  • - Papagaio (a) Chica - *CHICA* Oi,Chica! A história de nosso personagem começa dia *03 de janeiro de 1999*, quando o amigo *Lauro Werner* nos traz de presente um Papagaio (a) c...
    Há uma semana
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 7 meses
  • -

Arquivo do Blog