22 de outubro de 2009

O planeta está doente

A região Sul do Brasil é mostra das desgraças ambientais. Ora chove em demasia, causando cheias, ora a chuva não aparece, provocando grande seca. “Já não se tem meio termo.”

A análise é do vice-presidente do Instituto Ecológica e consultor em mercado de carbono, Divaldo Rezende. “O planeta está doente”, declarou em entrevista para o Instituto Humanitas, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos).

“É muito importante todo o trabalho de informação, de educação ambiental, para que as pessoas possam ter a percepção do que está acontecendo hoje no planeta”, defendeu.

A Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, de 7 a 18 de dezembro, em Copenhague, deverá tomar decisões importantes para o futuro do planeta. Dentre esses temas, Rezende arrola a questão das energias renováveis, a mudança do uso da terra, a biodiversidade e a expansão da pesquisa e transferência de tecnologia para diminuir a emissão de carbono e contar com matriz elétrica limpa, sem queima de combustíveis.

Cerca de 80% das emissões dos gases de efeito estufa ainda são provenientes da queima de combustíveis fósseis, lembrou Rezende. Desmatamentos e queimadas, que dizem respeito ao uso da terra, também contribuem para a emissão dos gases de efeito estufa.

A biodiversidade, explicou Rezende, “tem uma relação muito direta com mudanças do clima. Muitas espécies acabam sendo extintas em função do clima, ou alteração do volume de água, de secas, e uma série de outros acontecimentos.”

Para o desenvolvimento de tecnologias limpas, a pergunta é de onde vem o dinheiro, de onde vêm os recursos para a transferência de tecnologia para reduzir os gases de efeito estufa. “Vários especialistas estão falando que o tamanho da conta é entre 200 e 400 bilhões de dólares”, informou Rezende.

O consultor espera que a COP15 (Conferência das Partes, e leva o número 15 pois é a décima quinta vez que ocorre uma discussão geral sobre mudanças climáticas), agendada para Copenhague, defina diretrizes a respeito da Redução às Emissões por Desmatamento e Degradação, programa que leva o nome de REDD.

As partes, às quais se refere a sigla COP15, são os países signatários, 89 Estados, entre eles o Brasil.

Reunidos em Belém do Pará no início do mês, representantes de organizações e movimentos sócio-ambientais, de quilombolas e de povos originários, de estudantes e de trabalhadores da agricultura famíliar pediram que o governo brasileiro rejeite a utilização de REDD “como mecanismo de carbono e que o mesmo não seja aceito como compensação às emissões dos países do Norte”.

O seminário “Clima e floresta – REDD e mecanismos de mercado como solução para a Amazônia?” defendeu a transição para um novo modelo de produção, distribuição e consumo, baseado na agroecologia, na economia solidária e numa matriz energética diversificada e descentralizada, que garantam segurança e soberania alimentar.

“Precisamos de acordos que obriguem os países do Norte a reconhecerem a sua dívida climática e a se comprometerem com a reparação da mesma”, defende o documento tirado do encontro.

Fonte: ALC

Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

  1. Enquanto os interesses econômicos estiverem acima de tudo, nada vai melhorar. Tanto lá quanto cá o importante é aquecer a economia já, sem se importar com o amanhã. Bilhões investidos apenas em Petróleo quando poderiam ser destinados a energias limpas. Infelizmente a tendência é piorar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente os governos não apredem com as tragédias. Após os dramas que vimos ano passado no sul, pouca coisa foi feita para prevenir e proteger a população. Algo deve ser feito e já. Abraço.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 4 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog