29 de setembro de 2009

Census of Marine Life – Um censo nas profundezas do Atlântico

O programa mundial de Censo da Vida Marinha (Census of Marine Life), que consiste no levantamento da biodiversidade das regiões de cordilheiras de montanhas submarinas no Oceano Atlântico Sul, por meio do programa Mar-Eco Atlântico Sul, já tem data para iniciar suas pesquisas de campo.

No mês de outubro pesquisadores brasileiros, uruguaios, sul-africanos e russos embarcam no navio oceanográfico russo Akademik Yoffe, do Instituto Shirshov de Oceanologia, para a primeira viagem de estudos sobre a biodiversidade profunda da cordilheira meso-oceânica do Atlântico Sul.

A expedição, capitaneada, no hemisfério sul, pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), de Santa Catarina, inicia no dia 26 de outubro em Las Palmas, Gran Canária, na Espanha, encerrando no dia 2 de dezembro na Cidade do Cabo, África do Sul.

Nos cerca de 4,3 mil quilômetros de percurso da embarcação, dados físico-químicos, peixes, microorganismos e invertebrados associados ao fundo do mar serão amostrados em dez estações de coleta dispostas ao longo da cordilheira, em profundidades que variam de mil a três mil metros.

Na ocasião também serão registrados dados contínuos sobre os mamíferos marinhos como baleias e golfinhos habitantes das áreas oceânicas.

O projeto é uma continuidade de estudos realizados no Atlântico Norte e conta com a participação de cientistas de 16 instituições do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, África do Sul, Namíbia, Nova Zelândia e Noruega.

“Trata-se de uma iniciativa inédita para o Atlântico Sul e consiste no levantamento da biodiversidade e da distribuição de organismos dos ecossistemas profundos associados às estruturas geológicas da cadeia de montanhas meso-oceânicas”, diz José Angel Alvarez Perez, pesquisador do Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar (CTTMar/Univali), e coordenador do programa.

Essas cadeias de montanhas se estendem por 14 mil quilômetros, de norte a sul, e se elevam a dois mil metros de altura do assoalho oceânico no centro do Atlântico.

“Além de exercer forte influência nos padrões de circulação e na distribuição da vida marinha, esta cadeia de montanhas submersas constitui uma das feições mais proeminentes e menos conhecidas do fundo oceânico”, explica Angel.

Ele diz, ainda, que os objetivos da pesquisa levam em conta a necessidade de suprir a escassez de conhecimento da biodiversidade de águas profundas, ou seja, do que existe submerso no centro do Atlântico Sul:

“Este conhecimento é importante uma vez que as áreas costeiras são mais antigas e podem servir como fontes de espécies colonizadoras para os habitats recentemente formados pela separação das placas tectônicas que ocorrem continuamente nestas cadeias de montanhas”, relaciona o pesquisador.

Angel destaca que algumas estruturas geológicas associadas à cadeia central não existem no Atlântico Norte: “São cadeias de montanhas perpendiculares que ligam o centro do oceano até a costa, tanto no litoral brasileiro, no Rio Grande do Sul, como na costa da África, e que podem ter importante papel na dispersão da vida marinha profunda”, diz.

Outro ponto importante, segundo o pesquisador, é o fato do Atlântico Sul ser o último oceano a surgir na separação dos continentes conectando esse oceano a outros três já existentes: o Índico, o Antártico e o Pacífico. A pesquisa vai tentar apontar como essa conexão tem afetado a biodiversidade profunda do Atlântico e dos oceanos vizinhos.

Mais informações: (47) 3341-7714, com José Angel Alvarez Perez, coordenador do Grupo de Estudos Pesqueiros, do CTTMar/Univali.

Fonte: Wagner Mezoni/Assessoria de Comunicação e Marketing Institucional/Univali

Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

  1. Muito boa a matéria, um assunto muito interessante.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. Tenho certeza que muitas descobertas virão à tona. As profundezas do oceano são muito pouco exploradas.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Fundar uma ONG não é Complicado - Incentivar, ajudar, se doar, frequentemente faço isso. Algumas pessoas não percebem o quão fácil é agir dessa maneira, e quantos benefícios isso trás para ...
    Há 4 horas
  • - Papagaio (a) Chica - *CHICA* Oi,Chica! A história de nosso personagem começa dia *03 de janeiro de 1999*, quando o amigo *Lauro Werner* nos traz de presente um Papagaio (a) c...
    Há uma semana
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 7 meses
  • -

Arquivo do Blog