29 de maio de 2010

Avicultura brasileira sente impacto da crise Europeia

Presidente da Associação Catarinense de Avicultura, Clever Pirola Ávila, reclama que União Europeia continua a aplicar medidas protecionistas para beneficiar produtores europeus, camufladas como ajustes técnicos. E defende: Brasil devir ir à OMC

A venda de carne de frango para a Europa caiu 15% no primeiro quadrimestre deste ano em consequência de uma série de fatores. Um deles é a instabilidade gerada pela crise na Grécia e em outros Países com seu balanço afetado: Espanha, Portugal e Itália. O outro é de ordem fiscal: a Europa mudou a conceituação de carnes frescas "fresh meat”  e modificou a taxação do peito de frango brasileiro.galinha140

Esta alteração de taxação implica em fazer uma compensação ao Brasil através do regime de cotas – matéria que já é objeto de negociação com Bruxelas. O Brasil está concluindo um estudo para a abertura de um painel na Organização Mundial do Comércio (OMC) para discutir a decisão da União Europeia em criar mais restrições ao  ingresso da carne de frango naquele continente. Essa posição é defendida pelo presidente da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV), Clever Pirola Ávila, pois indústrias e criadores catarinenses são os mais prejudicados pelo protecionismo do velho mundo.

O dirigente entende que mudar a conceituação do produto e aumentar a tributação é claramente uma medida de injustificada retaliação comercial contra a qual o Brasil deve se insurgir. “Os Europeus continuam a aplicar medidas protecionistas para beneficiar o produtor local, camufladas como ajustes técnicos”, observou Ávila.

Para o presidente da ACAV, a solução é encontrar outros mercados ou ampliar a venda de carne de frango para alguns dos 127 países para os quais o Brasil exporta. O país já está fazendo isso com o Canadá, a Ásia e a África. Mas, esse desafio é grande porque, além de barreiras protecionistas, a situação cambial –  com o real sobrevalorizado em relação ao dólar – faz o produto brasileiro perder competitividade.

De janeiro a abril deste ano, o Brasil exportou 1,16 milhão de toneladas que renderam 1,99 bilhão de dólares. O volume baixou 1,43% e a receita aumentou 18%. Santa Catarina, maior Estado exportador, vendeu 307 mil toneladas e faturou 594,5 milhões de dólares.

Fonte: MARCOS A. BEDIN

MB Comunicação Empresarial/Organizacional

mb@mbcomunicacao.com.br

Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 5 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há 2 semanas
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog