2 de maio de 2011

Morre o DEM e PSD nasce forte em Santa Catarina

Apesar de estar vivendo o seu melhor momento em Santa Catarina, com a conquista do governo estadual e forte bancada na Assembléia Legislativa, o partido Democratas(DEM) ruiu. Sua principal estrela no estado, o governador Raimundo Colombo, anunciou por meio de Nota Oficial, na noite de ontem, 1º de maio, a sua saída do partido. Junto com Colombo saem também todos os deputados estaduais, inclusive o presidente da Assembléia catarinense, Gelson Merísio, e os  deputados federais Paulinho Bornhausen (hoje secretário de Estado) e Onofre Agostini.

O destino do governador catarinense e dos deputados estaduais e federais é o partido idealizado e liderado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, Partido Social Democrático (PSD), que foi fundado simbolicamente durante cerimônia ocorrida em Brasília no dia 13 de abril.

Em coletiva à imprensa, na Casa D´Agronômica, na tarde desta segunda-feira, dia 2, Colombo justificou sua ida para o PSD (Partido Social Democrático), depois de mais de 20 anos na agremiação (antes PFL). Confessou que foi uma decisão difícil, justamente pela situação confortável  do Democratas no Estado, “que saiu vitorioso com uma aliança partidária forte, ações harmoniosas e boa perspectiva eleitoral”. Disse que a situação nacional, motivada pela fragilização da Oposição ao Governo Federal, e o naufrágio da alternativa de fusão com o PSDB, foram determinantes para uma antecipação da decisão de deixar o Democratas.PSD

Em diversas ocasiões Colombo declarou que não tomaria uma posição antes das eleições municipais de 2012. A musculatura do novo partido, criado pelo prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, que está abrigando dissidências de diversas legendas partidárias, facilitou a decisão. Colombo disse que o PSD vem com uma motivação pelo novo, e que quer ajudar a construir um projeto com maior sintonia com a sociedade.

“A decisão foi tomada no domingo, muito tarde da noite. Este assunto já está encerrado. Agora, vamos trabalhar para formar o novo partido. O DEM ficou sem futuro. Eu estou com 47 anos e não tinha nenhum futuro político no DEM. Nossa liderança é o Kassab. O DEM ficou sem líder”, disse deputado Paulo Bornhausen.

Já o presidente nacional do DEM, Senador José Agripino (RN), admitiu que a saída das lideranças de Santa Catarina serão sentidas pelo partido, mas afirmou que o DEM não deixará de existir. “Eles, que moram no estado onde o Lula falou, durante a campanha para a Presidência no ano passado, que era preciso extirpar o DEM da política, é que precisam se explicar. Nosso partido não está acabando. O DEM está inteiro. Claro que não subestimamos a saída de ninguém, e eles fazem falta. Mas a saída deles não é nada que cause dificuldade para que o DEM siga no caminho da mudança”, afirmou Agripino.

Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

  1. Isso tudo aconteceu porque o PSDB não tem união. Não há hierarquia e cada um dos 3 ases (Serra, Aécio e Alckmin) só pensa em si. Desse kjeito o partido vai ruir em breve. O DEM já era há tempos. É um zumbi hoje em dia. Acredito que a futura oposição virá de dentro da base aliada: o PSB.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Projeto Valença Troca Livros - Aguardem! Em novembro! Vem aí o *"Projeto Valença Troca Livros"* Sem custo algum, apenas doação, amor. Já tenho alguns livros *livros* para serem trocados...
    Há 2 dias
  • - Cheiro de Goiaba - Mais uma participação da escritora, historiadora *Urda Alice Klueger, *Comentando o seu primeiro dia de aula, na Rua da Glória antiga Escola São José, e q...
    Há uma semana
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 5 meses
  • -

Arquivo do Blog