26 de dezembro de 2011

Cuidado: A osteoporose não apresenta sintomas

Embora a osteoporose acometa mais mulheres do que homens, é fundamental que todos estejam atentos porque se trata de uma doença séria, gerada pela diminuição da massa óssea e que habitualmente não apresenta sintomas. O médico ortopedista e traumatologista, Joaquim Reichmann da Reichmann Ortopedia de Chapecó, explica que o osso é um tecido vivo que se renova com mais intensidade nas primeiras décadas da vida. A partir dos 30 anos, o quadro inverte e a absorção de osso passa a ser maior que a formação.

A osteoporose não tem cura, mas o tratamento estabiliza o quadro da doença ou melhora o problema, evitando complicações e reduzindo significantemente o risco de fraturas.

A falta de atividade física ou a pouca ingestão de cálcio na infância e na adolescência aumentam a fragilidade do osso e o risco de desenvolver a doença. Segundo o médico, muitos pacientes só descobrem que têm a doença quando sentem dores provocadas por eventuais fraturas no fêmur, no punho e nas vértebras.

No caso das mulheres, após a menopausa, quando o corpo deixa de produzir os hormônios sexuais, o processo de descalcificação aumenta consideravelmente. A fragilização do osso pode se tornar tão grande que ele chega a se quebrar sozinho. “Em alguns casos, o próprio peso do corpo provoca microfaturas, principalmente na coluna, causando fortes dores nas costas”, comenta Reichmann.osteoporose

O médico ressalta que a ingestão de cálcio através de alimentos ou suplementos ajuda a manter os ossos fortes por mais tempo. O leite e seus derivados (queijos e iogurtes) são as melhores fontes alimentares de cálcio e devem ser ingeridos diariamente.

Mas somente o hábito de tomar leite ou ingerir cálcio com vitamina D não basta. “Para que o cálcio não seja eliminado, necessitamos também de fixadores do cálcio (alendronatos e residronatos)”, justifica Reichmann.

Evitar alguns hábitos como o fumo, bebidas alcoólicas e café, além de adotar medidas como a prática de exercícios físicos diariamente e exposição no sol durante 10 a 15 minutos pela manhã contribuem para diminuir o risco da doença. O sol ajuda o corpo a sintetizar a vitamina D, essencial para a fixação do cálcio nos ossos.

Para quem já passou da menopausa, recomenda-se a realização do exame de densitometria óssea periodicamente. O exame avalia o grau de perda da massa óssea e, através do diagnóstico, é possível utilizar medicamentos que evitam a progressão da doença e possíveis fraturas. Também é aconselhável a ingestão de suplementos de cálcio após a menopausa.

Fonte: MARCOS A. BEDIN

MB Comunicação Empresarial/Organizacional

mb@mbcomunicacao.com.br

Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado.

Recomendo

  • Quando Ouvi Bob Dylan pela Primeira Vez... - Quando ouvi *Bob Dylan* pela primeira vez eu devia ter uns 16 anos, e gostei muito. Sua voz mesmo estranha para alguns, me pareceu muito suave. Não sei ing...
    Há um dia
  • - Barreira - Bandeira do time Grená O paredão do *Grêmio Esportivo Olímpico* de 1964/1966. Enquanto por aqui esteve, Barreira foi um goleiro respeitado até pelos adver...
    Há 5 dias
  • - Noite da Família no Clã! No sábado a noite (13/05) foi realizado uma noite super especial com todas as Mães e familiares do Clã, onde rolou bolos e salgad...
    Há 9 meses
  • -

Arquivo do Blog